Do museu de reproduções ao Museu das Origens: reflexões sobre projetos institucionais de Mário Pedrosa

Sabrina Parracho Sant’anna, Marcelo Ribeiro Vasconcelos

Resumo


O artigo faz uma análise sobre a proposta de Mário Pedrosa para o Museu de Brasília (1958). O projeto, apresentado por Pedrosa por meio de uma carta enviada a Oscar Niemeyer, se caracteriza pela recusa em constituir um acervo próprio de obras de arte e pela intenção de utilizar em suas exposições e projetos didáticos reproduções de obras de arte. O artigo procurou estabelecer entendimentos sobre papel desempenhado por tal instituição dentro do projeto de Brasília, mas também como parte de um projeto estético mais amplo, em que eram privilegiadas as potencialidades comunicativas das artes visuais não figurativas, como o abstracionismo geométrico Para compreender como o projeto do museu de reproduções responderia às demandas históricas identificadas por Pedrosa a partir de sua interpretação sobre a função da arte moderna na construção de novas sensibilidades, foram estabelecidas comparações com outros dois projetos institucionais realizados e idealizados por Pedrosa: o Museo de la Solidaridad e o Museu das Origens.

Palavras-chave


Mário Pedrosa; museus; Brasília; arte; educação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/sclplr.v7i1.79168

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

©2018 - SOCIOLOGIAS PLURAIS – Revista Discente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná

Email: sociologiasplurais@gmail.com | Endereço: Rua General Carneiro, 460 - 9º andar | 80.60-150

Curitiba - PR | Universidade Federal do Paraná