Cultura Brasileira e autoritarismo em Nelson Werneck Sodré

Eduardo Russo Ramos

Resumo


O presente artigo realiza uma aproximação ao pensamento do historiador, crítico literário e militar carioca Nelson Werneck Sodré através do exame de duas obras que marcaram suas intervenções no plano político-intelectual da ditadura civil-militar instalada pelo golpe de 1964: Síntese de História da Cultura Brasileira, publicada em 1970, e Vida e Morte da Ditadura: 20 anos de autoritarismo no Brasil, publicada em 1984. Inserindo-se no âmbito de uma pesquisa acerca do itinerário formativo de Sodré enquanto um dos primeiros intelectuais da tradição marxista brasileira, este trabalho busca compreender sua percepção sobre os impactos da ditadura na sociedade brasileira, especialmente no âmbito da cultura. Portanto, o objetivo de nosso estudo é apresentar e analisar as teses sustentadas pelo autor na formação dos debates sobre cultura e autoritarismo no Brasil, compreendendo assim a discussão sobre o papel, produção e circulação da cultura na luta antiditatorial e a inserção do intelectual neste plano. Segue-se, assim, tanto uma reflexão sobre a obra sodreana quanto um resgate das contribuições deste teórico que sofreu e sofre um ostracismo na academia brasileira desde a década de 80.

 


Palavras-Chave: Pensamento social brasileiro; Tradição marxista brasileira;
Nelson Werneck Sodré; Cultura brasileira; Autoritarismo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/sclplr.v4i3.62825

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




©2018 - SOCIOLOGIAS PLURAIS – Revista Discente do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Paraná

Email: sociologiasplurais@gmail.com | Endereço: Rua General Carneiro, 460 - 9º andar | 80.60-150

Curitiba - PR | Universidade Federal do Paraná