RAZÕES CARTOGRÁFICAS E MOTIVOS DE MAPEAMENTOS: NOTAS SOBRE REPRESENTAÇÕES ESPACIAIS INDÍGENAS

Thiara Vichiato Breda

Resumo


Esse artigo tem como objetivo compreender algumas Cartografia(s) na Amazônia (A ́uwe, Tukano e Mebêngôkre), problematizando os sentidos de espacialidade e suas razões cartográficas que estão em constante negociação e disputas nos processos de mapeamentos. Tais reflexões partiram de uma perspectiva teórico-metodológica pós-estruturalista, sob a ótica da Teoria do Discurso de Ernesto Laclau e Chantal Mouffe, tecendo diálogos com estudos pós-coloniais e decoloniais, juntamente com as contribuições dos estudos da cartografia crítica e humanista e da geografia cultural. Através dessas lentes é proposto um deslocamento dos olhares hegemônicos das cosmologias cristã medieval e moderna eurocêntrica para as cosmologias indígenas na tentativa da compreensão de algumas disputas no processo de significações de ‘espaço’ nessas diferentes cosmovisões. Com isso, foi identificado os impactos da universalização de uma concepção de linguagem que no limite ocultam outras Cartografias ao negarem as diferenças no que tange ao processo de representação espacial. Através dessas inquietações, as considerações finais apresentam uma revisão das fronteiras que delimitam as cartografias de inclusão ou de exclusão oferecendo novas possibilidades para a compreensão da cartografia moderna (ou pós-moderna). Também foi feito uma reflexão sobre uma cartografia topológica para além do plano cartesiano-euclidiano que não se fecha no/para o espaço absoluto, mas que se abre para várias espacialidades, dilatando a imaginação e representação do "real" e do "imaginário" na criação de mapas.


Palavras-chave


Teoria do discurso; Cartografia indígena; sentidos de espacialidades

Texto completo:

PDF

Referências


BITTNER, C.; GLASZE, G., TURK, C. Tracing contingencies: Analyzing the political in assemblages of web 2.0 cartographies. GeoJournal, v. 78, n. 6, p. 935-948, 2013.

BREDA, T. V. BREDA, T. V. Da Política Pluralista para a Cartografia Plural: contribuições da Teoria do Discurso. In: STRAFORINI, R. et al. Sentidos de Geografia nas práticas escolares, políticas curriculares e na formação de professores. Jundiaí: Paco Editorial, 2020, v.1, p. 291-321.

BREDA, T. V. Mapas (de) indígenas na Amazônia: por uma cartografia decolonial, Revista Ciência Geográfica Ensino - Pesquisa – Método, v.XXV, p.282 – 299, 2021.

BROTTON, J. Uma história do mundo em Doze mapas. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

CASTRO, E. V. de. A natureza em pessoa: sobre outras práticas de conhecimento. Revista Mana, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, p. 115-144. 2007.

CALDERON, P. Foucault por ele mesmo. Paris, Arte France/ BFC Production France, 62 min, 2003.

CAMPOS, D. C. A Cosmologia dos Caiapós. Revista Scientific American Brasil – Especial Astronomina. n. 14, p. 62-71, 2006.

COSGROVE, D. Introduction: Mapping meanings. In: COSGROVE, D. (org.) Mappings. London: Reaktion Books, 1999, p.1-23.

CRUZ, V. do C. R-existências, territorialidades e identidades na Amazônia. Terra Livre, Goiânia Ano 22, v. 1, n. 26, p. 63-89, 2006.

GALLAIS, J. Alguns aspectos do espaço vivido nas civilizações do mundo tropical. Espaço e cultura, UERJ, n. 6, p. 9 -16, 1998.

GIRARDI, G. Mapas alternativos e educação geográfica. Revista percursos. Florianópolis, v. 13, n. 02, p 39 – 51, 2012.

GOMIDE, M. L. C. Ró - Cerrados e Mundo A'uwe Xavante. GEOUSP - Espaço e Tempo, São Paulo, n. 29, p. 117 - 130, 2011.

GUAJAJARA, S. et. Al. Demarcação Já Remix 3. Single 2020.

HAMÚ, D. C. A Ciência dos Mêbêngôkre, alternativas contra a destruição. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 1987.

HARLEY, J. B.; WOODWARD, D. (Eds.). The History of Cartography: Cartography in Prehistoric, ancient, and Medieval Europe and the Mediterranean. Chicago: University of Chicago Press, v. 1, 1987.

HARVEY, D. O espaço como palavra-chave. Revista da Faculdade de Serviço Social, Rio de Janeiro, n. 35, v. 13, p. 126 – 152, 2015.

JUNG, C. G. Os arquétipos e o inconsciente. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

KATUTA, Â. M. A(s) natureza(s) da cartografia. Geograficidade, v. 3, Número Especial, Primavera, p. 7-21, 2013.

KRENAK, A. Ideias para adiar o fim do mundo. São Paulo: Companhia das Letrinhas, 2019.

LACLAU, E. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LACLAU, E., MOUFFE, C. Hegemonía y estrategia socialista. Hacia una radicalización de la democracia. Madrid: Fondo de Cultura Económica de España, 1987.

LEFEBVRE, H. A produção do espaço. Trad. Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins - do original: La production de l’espace. 4e éd. Paris: Éditions Anthropos, 2006

MASSEY, D. Filosofia e política da espacialidade: algumas considerações. Geographia, Niterói, ano VI, n.12, 2004.

MASSEY, D. Pelo Espaço. Uma Nova política das espacialidades. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

MOUFFE, C. Democracia, cidadania e a questão do pluralismo. Política & Sociedade, n. 3, out, p. 11, 26, 2003.

PICKLES, J. A. history of spaces: cartographic reason, mapping and the geo- coded world. London: Routledge, 2004

PILE, S.; ROSE, G. 'All or nothing? Politics and critique in the modernism! postmodernism debate'. Environment and Planning D: Society and Space, 1992, v. 10, p. 123-36.

PORTO-GONÇALVES, C. W. Geo-grafias. Revista Cardinalis, v. 4, p. 230-263, 2015.

SANTOS, B. de S. “Epistemologías del Sur". Revista Internacional de Filosofía Iberoamericana y Teoría Social: Utopía y Praxis Latinoamericana, Año 16, n. 54, 2011, p. 17-39.

SEEMANN, J. Cartografias culturais na Geografia Cultural: entre mapas da cultura e a cultura dos mapas. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 21, n.2, p. 61-82, 2001.

SEEMANN, J. Entre mapas e narrativas: reflexões sobre as cartografias da literatura, a literatura da cartografia e a ordem das coisas. RA'E GA: o Espaço Geográfico em Análise, v. 30, p. 85, 2014.

THROWER, N. J. W. Maps and Civilization: Cartography in Culture and Society, Chicago: University of Chicago Press, 2008.

TUAN, Y. Espaço e lugar: a perspectiva da experiência. Londrina: Eduel, 2013.

WELCH, J. R., et al. Na primeira margem do rio: território e ecologia do povo xavante de Wedezé. Rio de Janeiro: Fundação Nacional do Índio, 2013.

WERTHEIM, M. Uma história do Espaço de Dante à Internet. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

WHITEHEAD, N. Indigenous Cartography in Lowland South America and the Caribbean. In: WOODWARD, D; LEWIS, G. M. (orgs.). The History of Cartography, Volume 2, Book 3: Cartography in the Traditional African, American, Australian and Pacific Societies. Chicago: University of Chicago Press, 1998, p.301-326.

WOOD, D. Maps are territories/review. Cartographica, v. 28, n.2, 1991, p. 73-80.

WOODWARD, D; LEWIS, G. Introduction. In: WOODWARD, D.; LEWIS, G. M. (org). The History of Cartography. Volume 2 Book 3: Cartography in the Traditional African, American, Australian, and Pacific Societies. Chicago: University of Chicago Press, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v52i0.74012

Direitos autorais 2021 Raega - O Espaço Geográfico em Análise

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009