DISTRIBUIÇÃO DA ARAUCÁRIA NO ESTADO DO PARANÁ (BRASIL): FATORES CLIMÁTICOS LIMITANTES

Elenice Fritzsons, Luiz Eduardo Mantovani, Marcos Silveira Wrege

Resumo


No estado do Paraná em altitudes superiores a 500 m ocorre a Araucaria angustifolia (Bert.) O. Kuntze. Vários aspectos do clima estão associados à presença da araucária e o objetivo deste trabalho é investigar os aspectos climáticos mais fortemente relacionados à sua presença natural no estado do Paraná. Foram utilizados os dados de temperatura e precipitação e foram separados os locais onde há ocorrência natural de araucária. Concluímos que a presença de florestas nativas de araucária ocorre onde as temperaturas são mais baixas e as precipitações de inverno mais elevadas, embora a precipitação total anual seja igual a das áreas sem araucária. A evaporação e a insolação são menores, o que resulta numa umidade relativa elevada. Dentre as áreas onde ocorre a araucária podemos separar subgrupos. Os conhecimentos obtidos permitem definir áreas distintas de conservação in situ e podem auxiliam na elaboração de programas de conservação e melhoramento genético.


Palavras-chave


Floresta Ombrófila Mista; conservação genética; espécie nativa

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO

Referências


ARZOLLA, F.A.R. D. P; IVANAUSKAS, N.M.; NALON, M.; PISCIOTTA, K; MEIRELLES, L.D.; ANTUNES, A.Z.; RODRIGUEZ, R.R.; JOLY, C.A.. Porque tombar imediatamente a Serra da Mantiqueira no Estado de São Paulo. Governo do Estado de São Paulo. Disponível em: http://iflorestal.sp.gov.br/2014/05/06/porque-tombar-imediatamente-a-serra-da-mantiqueira-no-estado-de-sao-paulo/. Data da disponibilidade: 22/10/2016.

BACKES, A. Condicionamento climático e distribuição geográfica de Araucária angustifolia. (Bertol.) Kuntze no Brasil -II. Pesquisas -Botânica, 49:31-51.1999.

CARGNELUTTI FILHO, A.; MALUF, J. R. T; MATZENAUER, R.; STOLZ, Á. P. Altitude e coordenadas geográficas na estimativa da temperatura mínima média decendial do ar no Estado do Rio Grande do Sul. Pesquisa Agropecuária Brasileira, Brasília, v. 41, n. 6, p. 893-901, 2006.

CASTELLA, P. R.; BRITEZ, R. M. A Floresta com Araucária no Paraná: Conservação e diagnósticos dos remanescentes florestais. Brasília, Ministério do Meio Ambiente. 233p. 2004.

CHOU, S.C.; LYRA, A.; MOURÃO, C.; DERECZYNSKI, C.; PILOTTO, I.; GOMES, J.; BUSTAMANTE, J.; TAVARES, P.; SILVA, A.; RODRIGUES, D.; CAMPOS, D.; CHAGAS, D.; SUEIRO, SIQUEIRA, G.; D.; MARENGO, J. Assessment of Climate Change over South America under RCP 4.5 and 8.5. Downscaling Scenarios. American Journal of Climate Change, v.3, p. 512-525, 2014.

DURY, G. H. High temperature extremes in Australia.Annals of the Association of American Geographers. 62 (3), 388–400. 1972.FRITZSONS, E.; MANTOVANI, L. E. Relação entre altitude e temperatura: Uma contribuição ao zoneamento climático no estado do Paraná.Revista de Estudos Ambientais,Blumenau, 10.1, p. 49-64. 2008.

GOLFARI, L.; CASER, R. L.; MOURA, V. P. G. Zoneamento ecológico esquemático para reflorestamento no Brasil. Belo Horizonte: PRODEPEF, PNUD/ FAO/IBDF/BRA-45. (Série Técnica, 11). 1978.

GUERRA, M. P. et al. Exploração, manejo e conservação da araucária (Araucária angustifolia). In: SIMÕES, L. L.; LINO, C. F. (Eds.).Sustentável Mata Atlântica: A exploração de seus recursos florestais. São Paulo: SENAC. 2002.

HAMRICK, D.L. Response of tree to global environmental damages. Forest Ecology and Management. 194:323-335. 2004.

ITCF. Plano de Manejo: ARIE do Buriti. Instituto de Terras Cartografia e Florestas, Paraná. 1991

JOLY, A.B. 1998. Botânica: Introdução à taxonomia vegetal. Companhia Editora Nacional. São Paulo, 12 ed.1998.

KLEIN, R. O aspecto dinâmico do pinheiro brasileiro. Sellowia, v. 12, p.17-48, 1960.

KLEIN, R.M. Southern brazilian phytogeographic features and probable influence of upper quaternary climatic changes in the floristic distribution. Boletim Paranaense de Geociências, n.33. 1975.

KLEIN, R.M. Aspectos dinâmicos da vegetação do sul do Brasil. Sellowia, Itajai, v. 36, p. 5-54, 1984.

LORENZI, H. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2 ed., v.1, v.2. 2002.

MAACK, R. Geografia física do Estado do Paraná. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Ed., 1981. MAACK, R. Mapa fitogeográfico do Estado do Paraná. Curitiba: IBPT-SAIC/INP. Um mapa 115 x 80 cm. 1:750.000. 1950.

MARTINELLI, G.; MORAES, M. A. (Eds.). Livro Vermelho da Flora Brasileira. Rio de Janeiro: Andrea Jakobson Estúdio; Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro. 1100p. 2013.

MEDEIROS, J.D., SAVI, M.; BRITO, B. F. A. Seleção de áreas para criação de Unidades de Conservação na Floresta Ombrófila Mista. Biotemas 18: 33-50. 2005.

OLIVEIRA-FILHO, A. T.; BUDKE, J. C.; JARENKOW, J. A.; EISENLOHR, P. V.; NEVES, D. R. M. 2013. Delving into the variations in tree species composition and richness across South American subtropical Atlantic and Pampean forests. Journal of Plant Ecology (Online first). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1093/jpe/rtt058. Acesso em: jan.2014.

OMETTO. J. C. Bioclimatologia vegetal. São Paulo: Agronômica Ceres. 129-132 p. 1981.RODERJAN, C.V.; GALVÃO, F.; KUNIYOSHI, Y. S.; & HATSCHBACK, G. As unidades fitogeográficas do estado do Paraná.Ciência e Ambiente, Santa Maria, v. 24, p.75-92. 2002.

SOUSA, V. A.; RICHARDS, C. M. Genetic diversity and biogeography determinants of population structure in Araucária angustifolia Bert. O Ktze. In: Molecular Ecology. International Conference. Programme and Abstracts. Vienna, 2012.

WREGE, M. S; FRITZSONS, E. Dados climáticos dos municípios da região Sul do Brasil [recurso eletrônico] / Colombo: Embrapa Florestas (Documentos / Embrapa Florestas). 2015.

WREGE, M. S.; SOUSA, V. A. de; FRITZSONS, E.; SOARES, M. T. S.; AGUIAR, A. V. de. Predicting current and future geographical distribution of araucária in Brazil for fundamental niche modeling. Environment and Ecology Research, v. 4, n. 5, p. 269-279. 2016.

ZANON, M. L. B.; FINGE, C.A.G. Relação de Variáveis Meteorológicas com o crescimento das árvores de Araucária angustifolia (Bertol.) Kuntzeem povoamentos implantados. Ciência Florestal, Santa Maria, v. 20, p. 467-476. 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v44i0.50259

Direitos autorais 2018 Raega - O Espaço Geográfico em Análise

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009