ENVIRONMENTAL PERCEPTION OF RURAL COMMUNITIES AND ANALYSIS OF LANDSCAPE: SUBSIDIES FOR PRIORITY AREA FOR CONSERVATION PROPOSITION IN THE RIO GRANDE DO NORTE SEMIARID, BRAZIL

Mycarla Araujo Lucena, Eliza Maria Freire

Resumo


Priority Areas for Conservation are defined in order to protect environments that are home to a richness of species, endemisms and/or endangered species. However, besides these factors, additional studies such as Environmental Perception of local communities and Landscape Analysis are relevant to assess and minimize the negative effects caused to natural environments. In this context and in this perspective, the Mountain Range Complex João do Vale was studied, located in the state of Rio Grande do Norte, which holds a set of landscapes with different vegetation types that are being replaced by various economic activities resulting from disordered population growth and consequent exploitation of natural resources' potential. The use of these resources, in most cases, occurs improperly, leading to a depletion of this potential. This study proposes to combine Analysis of Landscape, through a Geographic Information System (GIS), to the Environmental Perception of rural communities in order to define Priority Areas for Conservation. Perception data were obtained through direct observation, questioning, interviews and application forms (n = 240); as to the landscape, data from slope maps, Permanent Preservation Areas (PPA) and Environmental Vulnerability were used. The Content Analysis used for perception data showed that respondents have a sense of topophilia regarding where they live, hold a vast knowledge about natural resources and responded positively when asked about the choice of an exclusive area for conservation. These results coupledwith the Analysis of Landscape allowed with of Priorty Areas for Conservation in this Mountain Range Complex with three categories of priority low, medium and high.


Palavras-chave


Semiarid; Rural communities; Conservation; Environmental Perception; Mountainous environments.

Referências


ALBUQUERQUE, U. P.; ARAUJO, E. L.; EL-DEIR, A. C. A. et al. 2012. CaatingaRevisited: Ecology and Conservation of an Important Seasonal Dry Forest. The Scientific World Journal: 1-18.

ALVES, R. R. N. Relationhips between fauna and people and the role of ethnozoology in animal conservation. Ethnobiology and Conservation, v.1, n.2, p. 1-69, 2012.

ALVES, R. R. N. Fauna used in popular medicine in Northeast brazil. JournalofEthnobiologyandEthnomedicine,v. 5, n.1, p.1-11, 2009.

ALMUDI, T,; KALIKOSKI, D. C. Homem e natureza em um parque nacional do Sul do Brasil: meios de vida e conflitos nos arredores da Lagoa do Peixe. Desenvolvimento e Meio Ambiente,n. 20, p. 47-57, 2009.

ANGELIM, L.A.A.;NESI, J. R.; TORRES, H. H. F. et al. Programa Geologia do Brasil -PGB. Projeto mapa geológico e de recursos minerais do estado do Rio Grande do Norte. Mapa Geológico do Estado do Rio Grande do Norte. Escala1:500.000. Recife: CPRM/FAPERN, 2006.119p.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. 5. ed. São Paulo: Edições 70, 2010. 281p.

BERTRAND, G.; BERTRAND, C. Uma geografia transversal e de travessias:o meio ambiente através dos territórios e das temporalidades. PASSOS, M. M. (Organizador), Maringá: Ed. Massoni, 2009. 358p.

BORGES-NOJOSA, D. M.; CARAMASCHI, U. Composição e análise comparativa da diversidade e das afinidades biogeográficas dos lagartos e anfisbenídeos (Squamata) dos brejos. In: LEAL, I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2003. 822p.

BRASIL. Decreto n 6.040, de 7 de fevereiro de 2007.Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais.BRASIL. Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012, que revoga a Lei nº 4.771/65 de 15 de setembro de 1965,do Código Florestal Brasileiro.Brasília, DF: Congresso Nacional, 2012.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA. Resolução nº 303, de 20 de março de 2002. Dispõe sobre os parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. In: BRASIL. Resoluções do CONAMA: Resoluções vigentes publicadas entre setembro de 1984 e janeiro de 2012. Ministério do Meio Ambiente. Brasília: MMA, 2012. 1126p.

CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA. Resolução nº 369, de 28 de março de 2006. Dispõe sobre os casos excepcionais, de utilidade pública, interesse social ou baixo impacto ambiental, que possibilitam a intervenção ou supressão de vegetação em Área de Preservação Permanente-APP.In: BRASIL. Resoluções do CONAMA: Resoluções vigentes publicadas entre setembro de 1984 e janeiro de 2012. Ministério do Meio Ambiente. Brasília: MMA, 2012. 1126p.

COSTA, F. H. S. et al. Determinação da vulnerabilidade ambiental na bacia Potiguar, região de Macau (RN), utilizando sistemas de informações geográfica. Revista Brasileira de Cartografia,n. 58/02, p.119-127, 2006.

DUARTE, S. M. A.; SILVA, I. F.; MEDEIROS, B. G. S.; ALENCAR, M. L. S. Levantamento de solo e declividade da microbacia hidrográfica Timbaúba no Brejo do Paraibano, através de técnicas de fotointerpretação e Sistema de Informações Geográficas. Revista de Biologia e Ciências da Terra. v. 4, n.2, p.1-9, 2004.

EMBRAPA. Mapas de solos do Brasil na escala de 1:5 milhão, 2011. Disponível em acessado em 20 de março de 2012.

FEIJÓ, A.; LANGGUTH, A. Mamíferos de Médio e Grande Porte do Nordeste do Brasil: Distribuição e Taxonomia, com Descrição de Novas Espécies. Revista Nordestina de Biologia,v. 22, n. 1/2, p. 3-225, 2013.

GOUVEIA, S. F.; RUIZ-ESPARZA, J. M; SANTANA, V. B. et al. Nove anos de workshop: panorama dos resultados da definição de áreas prioritárias para a conservação da caatinga. HOLOS Environment, v. 10, n. 1, p. 83-94, 2010.

GOGLIATH, M.; RIBEIRO, L. B. & FREIRE, E. M. X. Geographic distribution. Acratosauramentalis(NCN). Herpetological Review, v.41, n. 2, p. 105-106, 2010.

GRIGIO, A. M. et al. Use of Remote Sensing and Geographical Information System in the Determination of the Natural and Environmental Vulnerability of the Municipal District of Guamaré -Rio Grande do Norte-Northeast of Brazil. Jounal of Coastal Research, v. 39, p. 1427-1431, 2006.

GUERRA, N. M.; RIBEIRO, J. E. S.; CARVALHO, T. K. N. et al. Usos locais de espécies vegetais nativas em uma comunidade rural no semiárido nordestino (São Mamede, Paraíba, Brasil).Revista de Biologia e Farmácia, volume especial, p. 184-209, 2012.

HOEFFEL, J. L.; FADINI, A. A. B.; MACHADO, M. K.; REIS, J. C. Trajetórias do Jaguary-Unidades de Conservação, percepção ambiental e turismo: um estudo da APA do Sistema Cantareira, São Paulo. Ambiente & Sociedade, v. XI, n. 1, p. 131-148, 2008.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.Censo demográfico 2010. Brasília, 2010.

LEAL, I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. Ecologia e conservação da caatinga: umaintrodução ao desafio. In: LEAL, I. R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. Ecologia e Conservação da Caatinga. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2003. 822 p.

LIMA, L. P. Z.; LOUZADA, J.; CARVALHO, L. M. T. et al. Análise da vulnerabilidade natural para implantação de unidades de conservação na microrregião da Serra de Carrancas, MG. Cerne, Lavras, v. 17, n. 2, p. 151-159, 2011.

LUCENA, M. A. L.; FREIRE, E. M. X. Environmental perception and use of fauna from a Private Natural Heritage Reserve (RPPN) in Brazilian semiarid. Acta Scientiarum. Biological Sciences,v. 34, n.4, p. 335-341, 2012.

LUCENA, M. M. A.; FREIRE, E. M. X. Percepção Ambiental sobre uma Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), pela Comunidade Rural do Entorno, Semiárido brasileiro. Educação Ambiental em Ação, n. 35, 2011.

MARQUES, R. O.; COSTA, L. F. B.; ANDRADE, F. A. V. A percepção ambiental dos moradores da comunidade do Divino Espírito Santo-APA Nhamundá, AM-Brasil. Em Contribuciones a lãs Ciencias Sociales, Octubre, 2013, www.eumed.net/rev/cccss/26/nhamunda.html.

MACHADO, L. M. C. P. Paisagem Valorizada: A serra do Mar como Espaço e como Lugar. In: DEL RIO, V.; OLIVEIRA, L. Percepção Ambiental: a experiência brasileira. 2. ed. SãoPaulo: Studio Nobel, 1999. p. 97-119.

MARGULES, C. R.; PRESSEY, R. L. Systematic conservation planning. Nature, v. 405, p. 243-253, 2000.

MIRANDA, N. M.; SOUZA, L. B. Percepção ambiental em propriedades rurais: Palmas (TO), Brasil. Revista Mercator, v. 10, n. 23, p. 171-186, 2011.

MMA. Ministério de Meio Ambiente. Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. 1 ed. Brasília, DF: MMA; Belo Horizonte, MG: Fundação Biodiversitas, v.II (Biodiversidade 19), 2008. 1420p.

MMA. Ministério de Meio Ambiente.Instrução Normativa nº 06, de 23 de setembro de 2008.Lista Oficial das Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção. 2008.

MMA. Áreas Prioritárias para conservação, Uso Sustentável e Repartição de Benefícios da Biodiversidade Brasileira.Atualização-Portaria MMA n.9, de 23 de janeiro de 2007. Ministério do Meio Ambiente, Secretaria de Biodiversidade e Florestas (Série Biodiversidade, 31), 2007. 301p.

MOURA, A. S. S. Reserva da Biosfera da Caatinga. In: GARIGLIO, M. A. et al. (Orgs.) UsoSustentável e Conservação dos Recursos Florestais da Caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro, 2010. 368p.

NASCIMENTO, F. R.; SOUZA, M. J. N.; CRUZ, M. L. B. Diagnóstico socioeconômico da Área de Proteção Ambiental da serra de Baturité-Ceará. Revista RA’EGA, n. 20, p.19-33, 2010.

NOGUEIRA, C.; VALDUJO, P. H.; PAESE, A. et al. Desafios para a identificação de áreas para conservação da biodiversidade. Megadiversidade, v. 5, n.1-2, p. 44-53, 2009.

OLIVEIRA, A. K. M.; FERNANDES, V.; GARNÉS, S. J. A. et al. Avaliação da perda da vegetação arbórea nativa na serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul, por meio de sensoriamento remoto. Revista RA’EGA, n. 17, p.43-52, 2009.

RAMOS, A. F.; HOEFFEL, J. L. M. A população regional e a APA Fernão Dias/MG um estudo sobre Percepção Ambiental, no Município de Camanducaia/MG. OLAM-Ciência & Tecnologia, v. 11, ano XI, n. 2, p.148-177, 2011.

RAZERA, J. C. C.; BOCCARDO, L.; PEREIRA, J. P. R. Percepções sobre a fauna em estudantes indígenas de uma tribo tupinambá no Brasil: um caso de etnozoologia. Revista Electrónica de Enseñanza de lãs Ciencias, v. 5, n. 3, p. 466-480, 2006.

ROQUE, A. A.; LOIOLA, M. I. B. Potencial de uso dos recursos vegetais em uma comunidade rural no semiárido Potiguar. Revista Caatinga, v. 26, n. 4, p. 88-98, 2013.

ROCHA, A. B., BACCARO, C. A. D., SILVA, P. C. M., CAMACHO, R. G. V. Mapeamento Geomorfológico da Bacia do Apodi-Mossoró -RN –NE do Brasil. Mercator -revista de geografia da UFC, ano 08, n. 16, p. 202-216, 2009.

SILVA NETO, J. C. A. Indicação para o uso da terra na bacia Hidrográfica do Rio Salobra-serra da Bodoquena, Mato Grosso do Sul. Revista RA’EGA, v.25, p. 279-304, 2012.

SILVA, T. S.; CANDIDO, G. A.; FREIRE, E. M. X. Conceitos, percepções e estratégias para conservação de uma Estação Ecológica da Caatinga nordestina por populações do seu entorno. Sociedade & Natureza, v. 21, n.2, p. 23-37, 2009.

SILVA, T. S; FREIRE, E. M. X. Fauna e Flora da Estação Ecológica do Seridó, Rio Grande do Norte: percepções e usos pelas comunidades do seu entorno. In: FREIRE, E. M. X. (Org.). Recursos naturais das caatingas: uma visão multidisciplinar. Natal, RN: EDUFRN-Editora da UFRN, 2009. p. 85-129.

SILVA, T. S; FREIRE, E. M. X. Perception and use of fauna resources in communities surrounding a conservation unit in northeast Brazil. Acta Scientiarum. Biological Sciences, v. 32, n.4, p.365-371, 2010.

SILVA, J. M. C.; TABARELLI, M.; FONSECA, M. T.; LINS, L. V. Biodiversidade da caatinga:áreas e ações prioritárias para a conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2003. 382p.

SOUZA, M. J. N.; OLIVEIRA, V. P. V. Os enclaves úmidos e sub-úmidosdo semiárido do nordeste brasileiro. Mercator-Revista de Geografia da UFC, ano 05, n. 09, p. 85-102, 2006.

SOUSA, M. A. N; LANGGUTH, A.; GIMENEZ, E. A.Mamíferos dos Brejos de Altitude Paraíba e Pernambuco. In: PORTO, K. C.; CABRAL, J. J. P.; TABARELLI, M. (Orgs.) Brejos e altitudes em Pernambuco e Paraíba: história natural, ecologia e conservação. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, Série Biodiversidade 9, 2004. p. 329-254.

TAGLIANI,C.R.A.Técnica para avaliação da vulnerabilidade ambiental de ambientes costeiros utilizando um sistema geográfico de informações. Fatorgis In Box, v. ano 4, n.109, 2002.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro. IBGE, Diretoria Técnica, SUPREN, 1977.

TUAN, Yi-Fu. Espaço e Lugar. A Perspectiva da Experiência. São Paulo: Diefel, 1983. 250p.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia–Um Estudo da Percepção, Atitudes e valores do Meio Ambiente. São Paulo: Difel, 1980. 288p.

VELLOSO, A. L. E; SAMPAIO, V. S. B.; PAREYN, F. G. C. Ecorregiões:propostas para o Bioma caatinga. Recife: Instituto de Conservação Ambiental. The NatureConservancy do Brasil, 2002. 76p.

WHYTE, A. V. T. La Perception de environnement: lignesdirectricesméthodologiquespourlesétudessurleterrain. Paris: UNESCO, 1978, 134p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v34i0.37102

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009