Open Journal Systems

O LEPROSÁRIO SÃO ROQUE E A MODERNIDADE: UMAABORDAGEM DA HANSENÍASE NA PERSPECTIVA DA RELAÇÃO ESPAÇO-TEMPO

Elizabeth Amorim de CASTRO

Resumo


O presente trabalho estabelece uma conexão entre a proposta de modernização implantada pela Primeira República no Brasil e a construção, em 1926, do Leprosário São Roque, hospital de isolamento destinado a abrigar compulsoriamente todos os leprosos do Paraná. Para isso, apreende a ideologia republicana, estabelece e analisa as ações conseqüentes deste ideário, insere o Leprosário na rede de instituições de isolamento formada no período em Curitiba, caracteriza a formação dessa rede como uma etapa do processo de modernização e identifica a temática da modernidade republicana (ciência, técnica, razão, progresso, ordem, civilização) nas diferentes justificativas de construção/existência do Leprosário São Roque. Esses pontos são abordados a partir da relação Espaço-Tempo e têm como pano de fundo a evolução do tratamento da hanseníase no período.

Palavras-chave


Hanseníase; Leprosário São Roque; modernidade; Primeira República; urbanização; Leprosy; São Roque Leprosarium; modernity; First Republic; urbanization

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAGNANO, N. Dicionário de Filosofia.São Paulo: MestreLou, 1970.

ABREU, M. A. Pensando a cidade no Brasil do passado. InCASTRO, I. et al. Brasil:questões atuais da reorganizaçãodo território. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. p. 145-183.

BERBERI, E. Impressões:a modernidade através dascrônicas no início do século em Curitiba.Curitiba, 1996, 196f. Dissertação (Mestrado em História) - Setor de CiênciasHumanas, Universidade Federal do Paraná.

BERMAN. M. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventurada modernidade. 3. reimp. São Paulo: Cia das Letras, 1987.

BERTOLLI FILHO, C. História da saúde pública no Brasil. 2.ed. São Paulo: Ática, 1998. Coleção História em Movimento.BONI, M. I. M. O espetáculo visto do alto:vigilância e puniçãoem Curitiba (1890-1920). São Paulo, 1985. 281 f. Tese(Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia, Letras eCiências Humanas da Universidade de São Paulo.

CABAS, A. G. et al. Paraná, o século, o asilo. Curitiba: Criar,2004.

CARVALHO, J. M. A formação das almas. São Paulo: Cia dasLetras, 1990.

CASTRO, E. A. A arquitetura do isolamento em Curitiba naRepública Velha. Curitiba: E. A. Castro, 2004.

CASTRO, E. A. São Roque: um exílio.Uma análise do papeldo Hospital SãoRoque, Piraquara/PR na história dahanseníase no Paraná. Curitiba, 2003. 138 p. Monografia(Especialização em Análise Ambiental) - Departamento deGeografia, Setor de Ciências da Terra da Universidade Federaldo Paraná.

CERRI, L. F. Direto à fonte. Nossa História, São Paulo: VeraCruz, ano 1, n. 7, p. 66-68, maio 2004.

COSTA, N. R. Lutas urbanas e controle sanitário: origens daspolíticas de saúde no Brasil. 2. ed. Petrópolis: Vozes; Rio deJaneiro: Associação Brasileira de Pós-Graduação em SaúdeColetiva, 1986.

CUNHA FILHO, V. F. Cidade e sociedade: a gênese dourbanismo moderno emCuritiba (1889-1940). Curitiba, 1998.171 f. Dissertação (Mestrado em História) - Setor de CiênciasHumanas, Universidade Federal do Paraná.

CURITIBA.Posturas da Camara Municipal de Curityba. Estadodo Paraná. Decretada pela Camara Municipal em sessão de22 de novembro de 1895. Curityba: Typographia Lith.Curitybana, 1897.

FERNANDES JR., L. Memória. Secretaria de Estado da Saúdedo Paraná. 1953 a 1983. Curitiba: Imprensa Oficial, 1987.

FERNANDES, L. O Hospital Oswaldo Cruz e a epidemiologiano Paraná. Secretaria da Saúde do Paraná. Casa da Memóriada Saúde Pública. Curitiba: Imprensa Oficial, 1993.

FOUCAULT, M. A verdade e as formas jurídicas. Rio deJaneiro: Nau Ed., 1996.

_____.Microfísica do poder. 13. ed. Rio de Janeiro: Graal,1996a.

_____.Vigiar e punir.5. ed. Petrópolis: Vozes, 1987.

GOFFMAN, E. Manicômios, prisões e conventos. 5. ed. SãoPaulo: Perspectiva, 1996.

HLADCZUC, A. M. et. al. História de Curitiba. Curitiba: Casada Memória, 2000. Disponível em: Acesso em: 21 maio 2003.

HOUAISS, A; VILLAR, M. S. Dicionário Houaiss da línguaportuguesa.1. ed. Rio de Janeiro: Objetiva, 2001.

INAUGURAÇÃO DO LEPROSARIO SÃO ROQUE. O Estadodo Paraná, 20 de outubro de 1926, p. 1.

KOZEL, S. As representações no geográfico. In MENDONÇA,F.; KOZEL, S. Elementos de epistemologia da geografiacontemporânea. Curitiba: UFPR, 2002. p. 215-232.

LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos demetodologia científica. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Atlas,1991.

LEPROSARIO SÃO ROQUE. O Estado do Paraná, 21 deoutubro de 1926, p. 1.

MARTINS, R. et al. (Org.). A República: grande edição especialdo centenário 1822-1922. Curitiba – Paraná – Brasil. Curitiba,1922.

MENEZES, C. L. Origens e institucionalização do urbanismoem Curitiba. In: Desenvolvimento urbano e meio ambiente:aexperiência de Curitiba. Campinas: Papirus, 1996. p. 55-87.

MOTA, A. Quem é bom já nasce feito: sanitarismo e eugeniano Brasil. Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

NASCIMENTO, E. G. A lepra: etiologia, prophilaxia etratamento. Rio de Janeiro, 1913. Tese (Doutorado emMedicina) – Setor de Clínica Dermatológica e Syphiligraphica,Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro.O PROBLEMA DA LEPRA RESOLVIDO NO PARANÁ. Gazetado Povo, Curitiba, 21 out. 1926.

OLIVEIRA, M. Representação social e simbolismo:contribuições à sociologia brasileira. Versão revisada peloautor de um trabalho apresentado no VII Congresso daSociedade Brasileira de Sociologia, realizado em Brasília entreos dias 5 e 7 de agosto de 1997.22 p. Mimeog.

OLIVEIRA, R. A transição republicana e suas transformações.Folha de São Paulo, 05 dez. 2002. Caderno Especial Fovest,p. 7.

PARANÁ.Regulamento do Serviço Sanitario do Estado doParaná a que se refere a Lei nº 1791 de 8 de abril de 1918.Curityba: Typographia d’A Republica, 1918.

_____.Relatório (Alcides Munhoz - Secretario Geral deEstado) apresentado ao Presidente do Paraná, CaetanoMunhoz da Rocha, referente aos serviços do exercíciofinanceiro de 1923-1924, em 31 de dezembro de 1924.Curityba: Livraria Mundial França e Cia, 1924.

_____. Governo. Carlos Cavalcanti De Abuquerque.Mensagem ao Congresso Legislativo do Estado do Paraná,em 01 de fevereiro de 1913. Curityba: Typographia do DiarioOfficial, 1913.

_____. Governo. Caetano Munhoz Da Rocha. Mensagem aoCongresso Legislativo do Estado do Paraná, em 01 defevereiro de 1925. Curityba: [s.n.], 1925.

_____. Governo. Caetano Munhoz Da Rocha. Mensagem aoCongresso Legislativo do Estado do Paraná, em 01 defevereiro de 1927. Curityba: [s.n.], 1927.

_____. Governo. Caetano Munhoz Da Rocha. Mensagem aoCongresso Legislativo do Estado do Paraná, em 01 defevereiro de 1928. Curityba: [s.n.], 1928.

PEREIRA, M. R. M. Semeando iras rumo ao progresso.Ordenamento jurídico e econômico da SociedadeParanaense, 1829-1889.Curitiba: UFPR, 1996.

REIS, T. J. dos. Elementos de hygiene social. 1. ed. Curitiba:Impressora Paranaense, 1894.

ROJAS, L. I. Geografia y salud: temas e perspectivas emAmérica Latina. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro,v. 14., n. 4., p. 1-16, out./dez. 1998. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2005.

SANTOS, M. A categoria de análise não é o território em si,mas o território utilizado. In: SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. OBrasil: território e sociedade no início do século XXI. 2 ed.Rio de Janeiro: Record, 2001. p. 247-248.

SEGAWA, H. Arquiteturas no Brasil 1900-1990. 2. ed. SãoPaulo: Edusp, 1999.

SEVCENKO, N. O prelúdio republicano, astúcias de ordem eilusões do progresso. In: SEVCENKO, N. (Org.) História davida privada no Brasil. 4. ed. São Paulo: Companhia dasLetras, 1998. p. 7-48. v. 3.

SHAAF, M. B.; GOUVÊA, R. R. Significados da urbanização:traços e fontes do historiador. In: Sá, C. (Org.). Olhar urbanoolhar humano. São Paulo: Ibrasa, 1991. p. 55-80.

SIQUEIRA, M. T. A. D. Saúde e doença na Província do Paraná(1853-1889). Curitiba, 1989. 396 f. Tese (Doutorado emHistória Demográfica) – Setor de Ciências Humanas,Universidade Federal do Paraná.

_____.LACEN Laboratório Central do Estado do Paraná: maisde um século dehistória. Curitiba: LACEN, 1996.

SOUZA-ARAÚJO, H. C. História da lepra no Brasil.v.3.Período Republicano(1890-1952). Rio de Janeiro:Departamento de Imprensa Nacional, 1956.

STROETER, J. R. Arquitetura & teorias. São Paulo: Nobel,1986.

TRINDADE, J. M. B. Metamorfose:de criança para menor.Curitiba – início do séc. XX. Curitiba, 1998. Tese (Doutoradoem História) - Setor de Ciências Humanas, UniversidadeFederal do Paraná.

VITOR, N. A terra do futuro: impressões do Paraná. 2. ed.Curitiba: Prefeitura Municipal de Curitiba,1996. (Coleção Faroldo Saber)




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v10i0.3396