BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO QUILOMBO: DEJETOS DE SUÍNOS E IMPACTOS AMBIENTAIS

Fabiola Oro ASSIS

Resumo


Esta pesquisa procurou mostrar o impacto ambiental causado pelos dejetos de suínos na Bacia Hidrográfica do Rio Quilombo, no município de Quilombo SC. Foram realizados levantamentos de dados, através de visitas a campo e pesquisas bibliográficas. Procurou-se esclarecer a atual situação da atividade suinícola, uma vez que esta atividade está presente na maioria das propriedades rurais do município, empregando basicamente mão-de-obra familiar e constituindose em fonte de renda. Embora trazendo benefícios para o produtor, a criação de suínos nesta bacia não utiliza práticas que garantam um destino adequado aos dejetos.

Hydrographic basin of Quilombo river: swinish dejection and environmental impact

Abstract

This research showed the environmental impact caused by the swinish dejection in the hydrographic basin of Quilombo River in the municipality of Quilombo-SC. An information survey has been held through field research and bibliography. It shows the current situation about the hog raising activitys, this activy happens in most rural properties in the municipality, which is basic family manual labor which is a source of income. Although it brings benefits for the producer, the swinish ireation in this basin is not correctly practiced concerning swinish dejection.


Palavras-chave


Dejetos de suínos; poluição hídrica; impactos ambientais; Swinish dejection; hydric pollution; enviromment impact.

Texto completo:

PDF

Referências


AMOSC - Associação dos Municípios do Oeste Catarinense.Mapa Rodoviário do Município de Quilombo. Chapecó: As-sessoria de Topografia e Cartografia, 2002.

CETESB.Microbiologia Ambiental. São Paulo, 1992.

CONAMA - Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolu-ção n. 237 de 19 dez. 1997.

EMBRAPA - CNPSA. Manual de manejo e utilização dosdejetos de suínos. Concórdia-SC, 1993.

EPAGRI – Empresa de Pesquisa Agropecuária e ExtensãoRural de Santa Catarina S. A. Disponível em: Acesso em: 01 jun. 2003.

FATMA – Fundação de Amparo à Tecnologia e ao Meio Am-biente do Estado de Santa Catarina. Disponível em: Acesso em: 01 jun. 2003.

GABINETE DO MINISTÉRIO. Portaria nº 36, 01/90.GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA. Disponívelem: Acesso em: 01 jun. 2003.

GUIVANT, J. Conflitos e negociações nas políticas de contro-le ambiental: o caso da suinocultura em Santa Catarina.Ambiente e Sociedade. Campinas: Unicamp, v. 1, n. 2, p. 101-123, 1998.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CensoAgropecuário (1995-1996).

JORNAL GAZETA POPULAR. Os altos e baixos dasuinocultura. São Miguel do Oeste,SC, n. 2, maio 2003. Su-plemento especial.

KENNETH, Mellanby. Biologia da poluição. São Paulo: Edito-ra Pedagógica e Universitária, 1982. v. 28. Coleção Temasda Biologia.

KONZEN, E. A. Manejo e utilização dos dejetos de suínos.Concórdia-SC: Embrapa/CNPSA, 1983.

LEGISLAÇÃO AMBIENTAL DO ESTADO DE SANTACATARINA. Florianópolis, SC, 2000.

MIYASAKA, Shiro et al. Adubação orgânica, adubação ver-de, rotação de cultura no Estado de São Paulo. Campinas:Fundação Cargill, 1984.

OLIVEIRA, P. A. V. Impacto ambiental causado pelos dejetosde suínos. In: SIMPÓSIO LATINO-AMERICANO DE NUTRI-ÇÃO DE SUÍNOS, Local 1994.

REVISTA NEXUS – Ciência e Tecnologia. Disponível em: Acesso em: 06 ago. 2003.

SILVA, José Afonso. Direito Ambiental Constitucional. SãoPaulo: Malheiros, 1994. 88 p.

VIVATERRA – Sociedade de Defesa, Pesquisa e EducaçãoAmbiental.Disponível em: Acesso em:05 ago. 2003.

WIEST, José Maria. Sensibilidade e especificidade de méto-dos populacionais de diagnósticos sorológicos naepidemiologia da leptospirose. Rio Grande do Sul, 1980. Dis-sertação (Mestrado) - PPGVC – UFRGS.

º BATALHÃO DE POLÍCIA MILITAR – Polícia Ambiental,São Miguel do Oeste, SC. Acesso em: 02 jul. 2003




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v8i0.3386

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009