SAZONALIDADE DO TURISMO NO MUNICÍPIO DE GUARATUBA, PARANÁ, BRASIL

Luciane SCHEUER, Miguel BAHL

Resumo


A crescente importância que o turismo tem assumido em termos globais e particularmente no quadro de algumas economias ocidentais justifica a preocupação dos setores público e privado em obter um conhecimento mais aprofundado sobre os efeitos do fenômeno turístico. Dentre eles surge a sazonalidade que é algo muito complexo e que a partir do seu estudo tem-se como identificar seus impactos, seus problemas e racionalizar soluções cabíveis em cada situação ou comunidade receptora. O presente estudo buscou comprovar e caracterizar a existência da sazonalidade turística no município de Guaratuba, Paraná, Brasil, por meio da abordagem de conceitos relacionados ao turismo e à geografia do turismo e voltá-los para o estudo do turismo sazonal. Empiricamente, esta pesquisa caracterizou o objeto de estudo, ou seja, Guaratuba e questionou 11 pessoas envolvidas direta e indiretamente com turismo no município, utilizando entrevista focalizada para posterior análise e comprovação do fenômeno, suas causas e seus efeitos.

Palavras-chave


Turismo; Guaratuba; causas; efeitos; sazonalidade

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, E. M. de. Turismo Litorâneo: Ocupação urbana e formação de ilhas de calor. Turismo em Análise. São Paulo: Escola de Comunicação e Artes da USP, v. 11, n. 2, p. 71-89, 2000.

ALMEIDA, A. L. de; KASTENHOLZ E. A sazonalidade no turismo e a estratégia de diversificação da procura:O Caso do Norte de Portugal. Conceptual Paper, 2º Encontro Luso-Brasileiro de Estratégia, ELBE: Lisboa, Portugal 2008. Disponível em: . Acesso em:15/06/2009.

BAHL, M.Agrupamentos Turísticos Municipais. Curitiba: Protexto, 2004.

BARON, R. R. V. Seasonality in Tourism: A guide to analysis of seasonality. Economist Intelligence Unit Technical Paper, London,n. 2, 1975.

BARRETTO, M. Planejamento e Organização do Turismo. 4. ed. Campinas: Papirus, 1991.

BAUM, T.; HAGEN, L. Responses to seasonality: the experiences of peripheral destinations.International Journal of tourism research.v. 1. i.4. Wiley: 299-312,1999.

BONFIM, B. B. R. A Geografia na Formação do Profissional em Turismo.2007. 274f. Tese (Doutorado em Geografia) –Faculdade de Filosofia, Letras, Ciências Humanas, Universidade de São Paulo-USP, São Paulo, 2007.

BONIFACE, B. G.; COOPER, C. The geography of travel & tourism.Oxford: Butterworth-Heinemann, 1994.

BUTLER, R. Seasonality in tourism: Issues and problems. In: Tourism: The State of the Art.

SEATON, A. V. Chichester: Wiley,p. 332-339, 1994.

_________. Seasonality in Tourism: Issues and Implications. In: Seasonality in Tourism.

BAUM, T.; LUNDTORP, S. (Org.) Oxford: Pergamont, p. 5-21, 2001.

BUTLER, R.; MAO, B. Seasonality in Tourism: Problems and Measurement. Quality Management in Urban Tourism. P.E. Murphy. Chichester, Wiley: 9-23, 1996.

CONSELHO DO LITORAL.Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado –Guaratuba (PDDI).Curitiba: Governo do Estado do Paraná, 2002.

CROCIA, N. Análise Regional e Destinações Turísticas: possibilidades teóricas e situações empíricas em geografia do turismo. Turismo –Visão e Ação.v. 4. n. 11, p. 9-28,2002. Disponível em: Acesso em: 10/02/2010.

DENCKER,A. de F. M.Métodos e técnicas de pesquisa em turismo.3. ed. São Paulo: Futura, 1998.

FRECHTLING, D.C. World Conference on the economic impact of tourism.International Journal of tourism research.v. 3. i.3. Wiley: 253-255, 2001.

GIL, A. C. Métodos e Técnicas de Pesquisa Social.6. ed. São Paulo:Atlas, 2008.

GUARATUBA, Prefeitura Municipal. 2009. Disponível em: Acesso em:12/12/2009.

HARTMANN, R. Tourism, Seasonality and Social Change.Leisure Studies5: 25-33, 1986.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA -IBGE. Domicílios e população, Censo 2000. Disponível em: Acesso em:15/06/2010.

INSTITUTO PARANAENSE DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL –IPARDES. Caderno Estatístico do Município de Guaratuba, 2009. Disponível em: Acesso em:10/05/2010.

IVARS, J. A. Planificación turística de los espacios regionales em Espanha.Madri: Síntesis, 2002.

KÖENIG-LEWIS, N; BISCHOFF, E. Seasonality Research:The State of the Art. International Journal of Tourism Research 7, p. 201-219, 2005.

KRIPPENDORF, J. Sociologia do turismo. Para uma nova compreensão do lazer e das viagens. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.

LAGE, H. G.; MILONE, P. C.Economia do turismo.Campinas: Papirus, 1998.

______________________. Impactos socioeconômicosglobais do Turismo. In: LAGE, H. G.; MILONE, P. C. (Org). Turismo –teoria e prática.São Paulo: Atlas, 2000, p. 117-13.

MARCONI, M. de A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de Pesquisa.7. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MITCHEL, L.; MURPHY, P. Geography and tourism.Annals of Tourism Research, n. 18, p. 57–70, 1991.

MOTA, K. C. N. Marketing Turístico:promovendo uma atividade sazonal. São Paulo: Atlas, 2001.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DO TURISMO -OMT. Introdução ao turismo. Trad. Dolores Martin Rodriguez Corner. São Paulo:Roca, 2001.

OSBORNE, D. R. Seasonality and habit persistence in a life cycle model of consumption. Modelling Seasonality. S. Hylleberg. Oxford: Oxford University Press, p. 193-208, 1992.

PARANÁ, Secretaria de Estado do Turismo –SETU-PR. Região Turística:Litoral do Paraná em dados, 2008. Disponível em: Acesso em:05/06/2009.

PEARCE, D. Desarrollo Turístico:su planificácion y ubicación geográfica. México: Trillas, 1988.

REJOWSKI, M. Turismo e pesquisa científica:pensamento internacionalXsituação brasileira. Campinas: Papirus, 1996. (Coleção Turismo).

RUSCHMANN, D. Marketing Turístico:Um enfoque promocional. 2. ed. Campinas: Papirus, 1995.

SCHEUER, L. Plano de Desenvolvimento Turístico do Município de Guaratuba. AMLIPA, 2010.

_________, L. Sazonalidade do Turismo no Município de Guaratuba –PR. 2010. 189f. Dissertação (Mestrado em Geografia) –Universidade Federal do Paraná –UFPR, Curitiba, 2010.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 20. ed. São Paulo: Cortez, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v23i0.24841

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009