A política ambiental para a região dos Campos Gerais do Paraná

Isonel Sandino Meneguzzo, Edu Silvestre Albuquerque

Resumo


O presente texto lança uma crítica sobre as políticas públicas voltadas à preservação e conservação da natureza nos Campos Gerais do Paraná. A região pesquisada apresenta características peculiares em razão do domínio fitogeográfico da vegetação de campos limpos com a ocorrência de campos cerrados e de matas de altitude, inseridas numa paisagem historicamente marcada pela ocorrência de atividades agropecuárias. Entretanto, as políticas de conservação e preservação ambiental têm valorizado as áreas com remanescentes de florestas e de patrimônio natural cênico, em detrimento dos ecossistemas e da sustentabilidade do desenvolvimento das populações que habitam em domínios de campo.

Palavras-chave


Política ambiental, Campos Gerais do Paraná, Unidades de Conservação.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Política Nacional do Meio Ambiente. In: ROCCO, R. Legislação brasileira do meio ambiente. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002a. p. 85-97.

BRASIL. Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. In: ROCCO, R. Legislação brasileira do meio ambiente. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2002b. p. 166-186.

BRDE. Florestamento na Região Sul do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 16/9/2003.

CASSETI, V. Contra-correnteza. Goiânia: Kelps, 1999. 139p.

CERVI, A. C.; HATSCHBACH, G. Flora. In: ROCHA, C. H.; MICHALIZEN, V.; PONTES FILHO, A. Plano de Integração do Parque Estadual Vila Velha - Rio São Jorge. Ponta Grossa: Ituphava S/C e Prefeitura Municipal de Ponta Grossa, 1990.

IAP. Instituto Ambiental do Paraná. Disponível em: . Acesso em: 05/2/2008.IBGE. Censo Agropecuário 1995-1996. Rio de Janeiro: IBGE, CD-ROM. 1996.

KLEIN, R. M. Mapa fitogeográfico do estado de Santa Catarina. Itajaí: Herbário Barbosa Rodrigues/ Flora Ilustrada. Catarinense/ SUDESUL/FATMA, 1978. 24p.

LAROCCA JUNIOR, J. Desenvolvimento industrial em Ponta Grossa (PR): avaliação eperspectivas. 210p. Dissertação (Mestrado em Economia) -Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000. 189p.

MAACK, R. Notas preliminares sobre clima, solos e vegetação do Estado do Paraná. Boletim Geográfico, Rio de Janeiro, n° 84, p. 1401-1487, 1950.

MELO, M. S.; MENEGUZZO, I. S. Patrimônio natural dos Campos Gerais do Paraná. In: DITZEL, C. H. M.; LÖWEN SAHR, C. L. Espaço e Cultura: Ponta Grossa e os Campos Gerais. Ponta Grossa: Editora da UEPG, 2001. cap. 23, p. 415-428.

MORAES, S. R. R.; TUROLLA, F. A. Visão geral dos proble-mas e da política ambiental no Brasil. Informações Econômi-cas, São Paulo, n. 4, p. 7-13, abr. 2004.

MOREIRA, J. C. ; ROCHA, C. H. Unidades de Conservação dos Campos Gerais. In: MELO, M. S.; MORO, R. S; GUIMA-RÃES, G. B. Patrimônio Natural dos Campos Gerais do Para-ná. Ponta Grossa: Editora UEPG, 2007, cap. 8, p. 201-212.

PARANÁ. Unidades de Conservação do Estado do Paraná. Curitiba: SEMA/IAP, 1999.PIQUET, R. Cidade-empresa. Rio de Janeiro: Zahar, 1998. 166p.

SARKAR. Etnoconservação da natureza: enfoques alternativos. In: DIEGUES, A. C. Etnoconservação: novos rumos para a proteção da natureza nos trópicos. 2. ed. São Paulo: Hucitec/Annablume/Nupaub.USP, 2000. cap. 2, p. 47-66.

SOUSA, A. C. A. A evolução da política ambiental no Brasil do século XX. Revista de Ciência Política, Rio de Janeiro, n. 30, p. 21-25, 2006.

TAKEDA, A. K.; MATTOZO TAKEDA, I. J. M.; FARAGO, P. V. Unidades de conservação da região dos Campos Gerais, Paraná. Revista Publicatio, Ponta Grossa, v. 7, n.1, p. 57-78, 2001.

VEIGA, J. E. Desenvolvimento Territorial: do entulho varguista ao zoneamento ecológico-econômico. Análise & dados, Salvador, v. 10, n. 4, p. 193-206, 2001.

ZILLER, S. R. A estepe gramíneo-lenhosa no Segundo Planalto do Paraná: diagnóstico ambiental com enfoque à contaminação biológica. 2000. 285 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v18i0.13360

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009