Open Journal Systems

Concepções de crianças da Educação Infantil sobre violência e a relação com o brincar: contribuições de Freud e Winnicott

Taísa Resende Sousa, Regina Lúcia Sucupira Pedroza, Maíra Muhringer Volpe

Resumo


Este relato de pesquisa objetivou compreender as concepções de crianças sobre violência, tecendo relações entre a violência e o brincar, a partir de Freud e Winnicott. O brincar é entendido como uma expressão característica das crianças, e também uma experiência criativa, indo além do mecanismo de sublimação e estando presente em todas as fases da vida do ser humano. A metodologia qualitativa consistiu na observação participante em um Centro de Educação Infantil, da rede pública, no Distrito Federal (DF); na realização de quatro oficinas lúdicas com crianças de quatro e cinco anos, em uma turma do primeiro período; além da leitura do projeto político-pedagógico (PPP) dessa escola. Como resultados e discussão, evidenciamos encontros e desencontros entre o escrito no PPP e a vivência na observação participante; e as concepções de crianças sobre violência. A pesquisa empírica reforçou a pertinência em tecermos relações entre a violência e o brincar, entendendo-o como uma das maneiras de elaborações de possíveis conteúdos ligados à violência e como uma experiência criativa, a partir dos próprios recursos das crianças.


Palavras-chave


crianças; educação infantil; psicanálise; violência; brincar.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v23i1.56020