Quem são as crianças que estão nas ruas: vítimas ou vitimizadoras?

Simone dos Santos Paludo, Silvia Helena Koller

Resumo


A vida na rua é permeada por fatores de risco para o desenvolvimento saudável, tais como violência,  ausência de adultos e cuidadores, drogas e perigos. Esses são desafios constantes e tornam essa  população extremamente vulnerável. A exposição e o testemunho diário de situações de risco pode ter  um impacto negativo em todas as pessoas, principalmente nas crianças que vivem no contexto da rua.  Portanto questiona-se como a rua pode modificar o desenvolvimento dessa população. Este estudo  investigou o impacto que a violência e o ambiente da rua podem assumir nas vidas destas. Verificou a  percepção dos processos de vitimização e os diferentes papéis que estas crianças podem assumir:  vítimas, agressores ou testemunhas. Foram utilizados uma entrevista semi-estruturada e aplicado um  instrumento projetivo, denominado SCAN BULLYING – “Scripted-Cartoon Narrative of Bullying”.  Dentre os principais resultados destaca-se a transição e a assunção dos diferentes papéis. Todos os  participantes identificaram em suas trajetórias pessoais o papel de vítima e, ao mesmo tempo 59%  relataram a assunção do papel de testemunha e agressor em situações de vitimização. Constatou-se  que a sociedade, a cultura e os estereótipos incrementam o impacto da violência na vida diária e,  conseqüentemente, as possibilidades de diversificar papéis no contexto da rua.

Palavras-chave: situação de rua; vitimização; violência.


Palavras-chave


situação de rua; vitimização; violência

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v9i1.3287

Direitos autorais