n. 54- EUA – BRASIL: UMA COOPERAÇÃO DELETÉRIA NA EDUCAÇÃO DA CARTILHA NEOLIBERAL AO FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO

Nora Krawczyk

Resumo


As ideias que pretendemos desenvolver aqui são resultados de uma pesquisa realizada nos EUA (2015-2016), que teve como objetivo o estudo da sua influência nas políticas educacionais brasileiras contemporâneas. Partimos da ideia de que as políticas que se afirmam como agenda global se originam num país determinado, são apropriadas pelas elites políticas e por grupos econômicos em diferentes países e se transformam em agenda global como parte das relações de dependência internacional.

A pesquisa das influências nos processos de produção e implementação das políticas educacionais nacionais permite conhecer a gênese dessas políticas no seu lugar de origem, seus princípios e transformações e seus resultados e consequências. Isto favorece, por sua vez, ter elementos de análise para uma melhor compreensão do que essas “ideias” podem produzir numa realidade histórica internacional e nacional bastante diferente. Elas podem vir tanto em forma de apreciações envolvendo a circulação internacional de ideias ou o empréstimo de políticas quanto através de alianças com setores nacionais. Veremos como, no caso do Brasil, podem ser identificadas essas três formas de influência dos EUA na educação brasileira. Serão analisadas as consequências na educação básica brasileira da aliança empresarial e do fundamentalismo religioso Brasil-EUA.


Palavras-chave


Política Educacional, Regulação Educacional, empresariado

Texto completo:

PDF

Referências


ANGRIST ,J; DYNARSKI,S; KANE T. PATHAK,P; WALTERS Ch.. Who benefits from KIPP? Institute for the Study of Labor. Discussion Paper Series, IZA DP, n.º 5690, maio, 2011. Disponível em: https://economics.mit.edu/files/6965. Acesso em: 3 de março de 2020

APPLE, M. Educando à direita. São Paulo: Instituto Paulo Freire, 2003.

AUGÉ, M. Não lugares: introdução a uma antropologia da sobremodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

BARROSO, J. (Org.) A regulação das políticas públicas de educação. Lisboa: Educa/Unidade de I&D de Ciências da Educação, 2006.

BASTOS, R. M. B. O surpreendente êxito do sistema educacional finlandês em um cenário global de educação mercantilizada. Revista Brasileira de Educação, v. 22, n. 70, jul./set. 2017.

BECK,U. O que é globalização? Equívocos do globalismo, respostas à globalização. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

BERLINER, D. Escola pública nos EUA. Resistindo aos ataques do governo Trump. In: KRAWCZYK, N. (Org.) Escola pública. Tempos difíceis, mas não impossíveis. Campinas: FE/Unicamp, 2018. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=105858&opt=4. Acesso em 14 de dezembro de 2019

BERLlNER D.; GLASS, D. 50 myths and lies that threaten America's public schools. The real crisis in education. Nova York: Teachers College, Columbia University, 2014.

BORGES, H. Sob aplausos do mercado financeiro, empresários já lucram com reforma do ensino médio. The Intercept Brasil, 20 out. 2017. Disponível em: https://theintercept.com/2017/10/20/sob-aplausos-do-mercado-financeiro-empresarios-ja-lucram-com-reforma-do-ensino-medio/ Acesso em: 24 de outubro de 2017

BURITY, J. A onda conservadora na política brasileira traz o fundamentalismo ao poder? In: ALMEIDA, R.; TONIOL, R. (Orgs.). Conservadorismo, fascismo e fundamentalismo. Análises conjunturais. Campinas: Editora Unicamp,2018.

CATTINI,C. Educação: revelação de mais uma face da financeirização e privatização dos direitos sociais. Revista do Instituto Humanitas Unisinos IHU, on line, edição 539, 19 ago.2019. Disponível em: http://www.ihuonline.unisinos.br/artigo/7621-educacao-revelacao-de-mais-uma-face-da-financeirizacao-e-privatizacao-dos-direitos-sociais. Acesso em: 18 de novembro de 2019

DARDOT, P.; LAVAL, Ch. A nova razão do mundo. Ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.

FERREIRA, P. “Vocês estão vivendo um novo tipo de ditadura”, diz sociólogo Manuel Castells. O Globo, 17 jul. 2019. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/voces-estao-vivendo-um-novo-tipo-de-ditadura-diz-sociologo-manuel-castells-23812733. Acesso em: 5 de outubro de 2019

GIOVANNI, G.; NOGUEIRA, M. A. Introdução. In: GIOVANNI, G.; NOGUEIRA, M. A. (Orgs.). Dicionário de políticas públicas. São Paulo: Fundap; Imprensa Oficial, 2013.

GREEN, P. C. III, BAKER, B. D.; OLUWOLE, J. The legal status of charter schools in state statutory law. University of Massachusetts Law Review, Massachusetts, v. 10, n. 2. Disponível em: https://scholarship.law.umassd.edu/umlr/vol10/iss2/1/.

KRAWCZYK, N. Políticas de regulação e mercantilização da educação: socialização para uma nova cidadania? Educação & Sociedade, Campinas, Cedes, v.26, número especial, 2005.

KRAWCZYK, N. Os empresários dão as cartas. Educação & Sociedade , Campinas, Cedes, v. 35, n. 126, 2014.

KRAWCZYK, N. Política educacional dos Estados Unidos e sua influência no Brasil. Relatório científico. FAPESP, 2016a. Disponível em: http://noraunicamp.blogspot.com

KRAWCZYK, N. Charter school: uma escola pública que caminha e fala como escola privada. Entrevista com Dwight Holmes. Carta Capital [online], 2 set. 2016b. Disponível em: http://www.cartaeducacao.com.br/entrevistas/charter-school-uma-escola-publica-que-caminha-e-fala-como-escola-privada/.

KRAWCZYK, N. Introdução. In: KRAWCZYK, N. (Org). Escola pública. Tempos difíceis, mas não impossíveis. Campinas: F E-Unicamp Editora; Uberlândia: Navegando, 2018. Download gratuito em: https://www.editoranavegando.com/livro-unicamp.

LÓPEZ-RUIZ, O. Os executivos das transnacionais e o espírito do capitalismo: capital humano e empreendedorismo como valores sociais. Rio de Janeiro: Azougue, 2007.

MAINARDES, J. Abordagem do ciclo de políticas: uma contribuição para análise de políticas educacionais. Educação & Sociedade, Campinas, Cedes, v. 27, n. 94, jan./abr. 2006.

MIRON, G.; MATHIS, W. J.; WELNER, K. Separating fact & fiction: What you need to know about charter schools. Washington DC: National Alliance for Public Charter Schools, 2014.

MIRON, G.; URSCHEL, J. L. Equal or fair? A study of revenues and expenditure in American charter schools. Boulder and Temple: Education and the Public Interest Center & Education Policy Research Unit, 2010. Disponível em: http://epicpolicy.org/publication/charter-school-finance.

MOURA, E. da S.; NAJJAR, J.; CARNEIRO, W. Neoliberalização e reforma educacional: a chegada da organização Teach For America no Brasil. RBOEA, v. 35, maio/ago. 2019.

OHANA, V. Acredito, RenovaBR e Fundação Lemann: renovação ou infiltração? Carta Capital, 30 ago. 2019. Política.

QUEIROZ, L. “A doutrina do choque” de Naomi Klein. Jornal GNN, 17 jan. 2015. Disponível em:

https://jornalggn.com.br/sociedade/a-doutrina-do-choque-de-naomi-klein/

RODRIGUES, A. Máfia das creches terceirizadas é suspeita de desviar verba e comida de unidades em SP Folha de S. Paulo, 12.set.2019. Cotidiano.

VAN ZANTEN, A. Les politiques d’education. Paris: PUF, 2004. (Collection “Que sais-je?).

WEIL, D. Charter school movement: History, politics, policies, economics and effectiveness, New York: Grey House Publishing, 2009.

WELNER, K. Neo voucher: the emergence of tuition tax credits for private schooling. New York: Rowman & Littlefield, 2008.

WHITTY, G. Controle do currículo e quase-mercados: a recente reforma educacional na Inglaterra e no País de Gales. In: WARDE, M. (Org.). II Seminário Internacional Novas Políticas Educacionais: críticas e perspectivas. São Paulo: PUC, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v14i0.77573

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Publicado por el Núcleo de Política Educativa (NuPE) y por la línea de investigación en Políticas Educativas del Programa de Posgrado en Educación (PPGE / UFPR), de la Universidad Federal de Paraná (UFPR).

 Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br