n. 44 - INGERÊNCIA E DESIGUALDADES NAS POLÍTICAS DE ENSINO MÉDIO: UM ESTUDO COMPARADO DE BRASIL E ARGENTINA

Juvenilto Soares Nascimento, Fabricio Cardoso da Silva, Lucas Lourenço Silva, Irene Silva de Abreu

Resumo


Este artigo investiga, por meio de estudo comparado, as recentes reformas do ensino médio/secundário no Brasil e na Argentina. O objetivo é analisar como os documentos oficiais orientadores dessas reformas tratam das desigualdades – nas intencionalidades e nas medidas a serem adotadas – revelando convergências e divergências. Com abordagem qualitativa, esta pesquisa do tipo estudo bibliográfico e análise documental, contempla em especial: a Declaração de Incheon; a Exposição de Motivos (EM) nº 0084/2016/MEC; e a Resolução do Conselho Federal de Educação (CFE) da Argentina nº 230/2017. As principais referências teóricas empregadas são os estudos de Corrêa (2011); Libâneo (2012; 2018); Nascimento (2018); Krawczyk e Ferretti (2017); Polizzi (2019); e Feldfeber e Gluz (2014). Dentre os resultados, identificou-se que as reformas ocorrem em um contexto de avanços na Argentina e de retrocessos no Brasil, mas este último adota medidas incompatíveis com suas intencionalidades expressas, de melhorar a qualidade da educação e reduzir suas desigualdades.

 


Palavras-chave


Reforma do ensino médio; Brasil; Argentina; Organismos multilaterais internacionais; Desigualdades.

Texto completo:

PDF

Referências


CORRÊA, J. J. Educação comparada: um esboço para compreender as fronteiras e os limites da comparação. Visão Global, Joaçaba, v. 14, n. 2, p. 251-272, jul./dez. 2011.

FELDFEBER, M.; GLUZ, N. Políticas para a educação básica na Argentina: os desafios da “inclusão”. Retratos da Escola, v. 8, n. 14, p. 65-79, jan./jun. 2014.

KRAWCZYK, N.; FERRETTI, C. J. Flexibilizar para quê? Meias verdades da “reforma”. Retratos da Escola, Brasília, v. 11, n. 20, p. 33-44, jan./jun. 2017.

LIBÂNEO, J. C. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, vol. 38, n. 1, p. 13-28, 2012.

LIBÂNEO, J. C. Políticas educacionais neoliberais e escola: uma qualidade de educação restrita e restritiva. In: LIBÂNEO, J. C.; FREITAS, R. M. da M. (Orgs.). Políticas educacionais neoliberais e escola pública: uma qualidade restrita de educação escolar. Goiânia: Espaço Acadêmico, 2018. p. 45-88.

MARRONE, L. E. La Escuela Secundaria Obligatoria em Argentina: entre el derecho y la contención social. Poiésis, Tubarão. v. 10, n. 17, p. 245 - 266, jan./jun. 2016.

NASCIMENTO, J. S. ENEM: regras e estratégias no jogo das classificações e desclassificações. Jundiaí, SP: Paco Editorial, 2018.

POLIZZI, M. La política educativa para la escuela secundaria

obligatoria. Indagando en la “Secundaria del Futuro” como estudio de caso en la Ciudad de Buenos Aires. In: XIII Jornadas de Sociología. Facultad

de Ciencias Sociales, Universidad de Buenos Aires, 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/jpe.v14i0.73177

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Publicado pelo Núcleo de Políticas Educacionais (NuPE) e pela linha de pesquisa em Políticas Educacionais do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Published by Educational Policies Research Centre (NuPE) and by Educational Policy Research Group at Graduate Program in Education (PPGE / UFPR), Federal University of Paraná (UFPR), Brazil.

Contatos: +55 41 35356264

E-mail: jpe@ufpr.br