ROUPAS PARA MAMÃES: CORPO E GRAVIDEZ NAS REPRESENTAÇÕES PARA A MATERNIDADE NA REVISTA MANEQUIM (1963)

Ivana Guilheme Simili

Resumo


Examinar as representações para a maternidade por meio da análise das roupas para grávidas que circularam na revista Manequim, notadamente, na edição especial “Futura mamãe”, de 1963, é o objetivo deste texto. Nossa abordagem discute como a gestação é incorporada pela moda e como esta produziu e difundiu representações para o corpo grávido. No artigo, indicamos, ainda, como as transformações corporais definiram linhas de indumentárias apropriadas à gestação nos anos 1960 e como estas assimilaram tendências e estilos da moda jovem, o que contribuiu para a ampliação do consumo.


Palavras-chave


Roupas; Moda; Maternidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v65i2.55390

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150