Neoliberalismo e Democracia na América do Sul: Um estudo sobre Argentina, Brasil e Chile

Victor de Matos Nascimento

Resumo


O presente artigo parte de um questionamento acerca da relação entre os regimes democráticos a partir da década de 1980 na América do Sul e o modelo econômico e político neoliberal implementado na região. Neste sentido, a proposta é entender qual o papel do alinhamento entre o projeto neoliberal e a consolidação de instituições democráticas na América do Sul a partir da década de 1980 para com o desenvolvimento dos países da região. A discussão é feita tendo como referência três atores sul-americanos que passaram por regimes autoritários e representam economias expressivas: Argentina, Brasil e Chile. A análise é feita tendo como base revisão de literatura sobre o tema e acredita-se que este esforço para entender esta questão seja interessante para que se tenha mais clareza sobre os rumos que tiveram o desenvolvimento da região.


Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, José Ignácio de. Compendio da História do Brasil. Rio de Janeiro: Eduardo e Henrique Laemmert. 1843.

ALVES, Douglas Santos. Neoliberalismo, democracia e as origens da instabilidade política na América Latina. 5º Colóquio Internacional Marx Engels, novembro, 2007. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2019.

ANDERSON, Perry. Balanço do Neoliberalismo. In SADER, Emir; GENTILI, Pablo (orgs.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1995, p. 9-23.)

ÁVILA, Carlos Federico Domínguez. O golpe no Chile e a política internacional (1973): ensaio de interpretação. História (São Paulo) v.33, n.1, p. 290-316, jan./jun. 2014.

BAQUERO, Marcello. Democracia formal, cultura política informal e capital social no Brasil. Opinião Pública, Campinas, vol. 14, nº 2, Novembro, 2008, p.380-413

BOBBIO, Norberto. “Democracia”. In. SANTILLÁN, José Fernández (coord.). Norberto Bobbio: el filósofo y la política. México: Fondo de Cultura Econômica. 1996.

CASTELLS, Manuel. Globalización, Desarrollo y Democracia: Chile en el contexto mundial. Fondo de Cultura Económica USA. 2005.

CIA. The World Factbook. South America. s/d. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2019.

FONSECA. Pedro Cezar Dutra. Desenvolvimentismo: um caminho para chegar lá. Revista Rumos, v. 289. Outubro, 2016. Disponível em: . Acesso em: 29 out. 2019.

FRIEDMAN, Milton. Capitalismo e liberdade. São Paulo: Abril Cultural, 1984.

GUIMARÃES, S. P. Quinhentos anos de periferia. Porto Alegre/Rio de Janeiro: UFRGS/Contraponto, 2000.

HIRSCHMAN, Albert. The Political Economy Of Import-SubstititingIndistrialization. In Latin America. The Quarterly Journal of Economics, vol.82, n.1. 1968.

IBARRA, David. O neoliberalismo na América Latina. Revista de Economia Política. V. 31, Nº 2 (122). P. 238-248. São Paulo, Abr/Jun. 2011.

LARA, Ricardo; SILVA, Mauri Antônio da. A ditadura civil-militar de 1964: os impactos de longa duração nos direitos trabalhistas e sociais no Brasil. Serviço Social & Sociedade. São Paulo, n. 22, p. 275-293, abr/jun, 2015

MARTINS, Carlos Gilberto de Sousa. Liberalismo na Argentina: o impacto das reformas do setor financeiro realizadas durante a ditadura de 1976. XII Congresso Brasileiro de História Econômica & 13ª Conferência Internacional de História de Empresas. Niterói, 2017.

MARTINS, Renato. Chile: a democracia e os limites do consenso. Lua Nova. N. 49, p. 65-85, 2000.

PATNAIK, Prabhat. On the Political Economy of Underdevelopment. Whatever Happened to Imperialism and Other Essays. Nova Déli: Tulika, p. 12−57. 1973.

PRADO JÚNIOR, Caio. Diretrizes para uma Política Econômica Brasileira. São Paulo, Urupês, 1954.

PRADO JÚNIOR, Caio. História e desenvolvimento: a contribuição da historiografia para a teoria e prática do desenvolvimento brasileiro. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 1978.

QUINTAR, Aída; ARGUMEDO, Alcira. Argentina: os dilemas da democracia restringida. Lua Nova. N. 49, p. 35-63, 2000.

ROJAS, Gonzalo Adrián. A ditadura militar na Argentina (1976-1983): retomando algumas hipóteses frente aos relatos oficiais. Lutas Sociais, São Paulo, vol.18 n.32, p.163-176, jan./jun. 2014.

SADER, Emir. The Weakest Link? Neoliberalism in Latin America. New Left Review, 52 (July-August), pág. 5–31, 2008.

SANTOS, F. Onofre. O Fogo de Prometeu nas Mãos de Midas: Desenvolvimento e Mudança Social. In CAMPOS, Taiane L.C. (org.). Desenvolvimento, Desigualdades e Relações Internacionais. Belo Horizonte. Editora PUC Minas, cap. 1, pág. 13−75, 2005.

SANTOS, Marcelo H. P. dos. Roberto de Oliveira Campos: homem de ação do governo Castelo Branco. São Paulo em perspectiva. Vol.14 no.2 São Paulo Abr./Jun. 2000.

SIEGLE, Joseph. Why democracy is central to Peace and prosperity? Auslandsinformationen, January, 2006. Disponível em: . Acesso em: 29 jul. 2019.

THE WORLD BANK. World Development Indicators. 2019. Disponível em: Acesso em: 24 jul. 2019.

TORO. Commodities: o que são commodities? 2019. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2019.

OLIVEIRA, Miguel Darcy de. Sociedade civil e democracia no Brasil: crise e reinvenção da política. In. SORJ, Bernardo; OLIVEIRA, Miguel Darcy de. (Orgs.). Sociedade civil e democracia na América Latina: Crise e reinvenção da política. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2007.

OTTONE, Ernesto. A experiência chilena: o avesso da trama. In. SORJ, Bernardo; OLIVEIRA; Miguel Darcy de. (Orgs.). Sociedade civil e democracia na América Latina: Crise e reinvenção da política. São Paulo: Instituto Fernando Henrique Cardoso, 2007.

UNCTAD United Nations Conference on Trade and Development. State of Commoditie Dependence. 2016. Disponível em: . Acesso em: 23 jul. 2019.

WEYLAND, Kurt. Threats to Latin America's Market Model? Political Science Quarterly, Vol. 119, No. 2 (Summer, 2004), pp. 291-313




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cg.v8i2.68942

Apontamentos

  • Não há apontamentos.