A Era das Frustrações: as relações entre as grandes potências europeias e os legados para as relações internacionais (1713-1815)

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


Os objetivos deste artigo são apontar falhas e limitações nas visões predominantes sobre as relações entre as grandes potências europeias entre 1713 e 1815 e questionar os legados dos principais eventos político-sociais ocorridos nesse momento para as relações internacionais. Argumenta-se inicialmente que, de 1713 a 1789, houve grandes potências que operaram de acordo com objetivos relacionados à conquista de hegemonia, não à busca do equilíbrio de poder, e que a falha na conquista da hegemonia não necessariamente nega a existência de impulsos hegemônicos. Desenvolve-se que, no momento posterior a 1789, em vez de uma força nova e independente influenciando o curso dos eventos, o nacionalismo foi apenas marginalmente influente e operou predominantemente como um instrumento de política oficial.

 

Palavras-chave: Século XVIII; Revolução Francesa; Guerras Napoleônicas; Relações Internacionais.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cg.v4i1.41408

Apontamentos

  • Não há apontamentos.