FATORES RELACIONADOS À DESESPERANÇA EM UNIVERSITÁRIOS

Camylla Layanny Soares Lima, Lorena Uchôa Portela Veloso, Jefferson Abraão Caetano Lira, Andressa Gislanny Nunes Silva, Ângela Raquel Cruz Rocha, Bentinelis Braga Conceição

Resumo


Objetivo: identificar fatores relacionados à desesperança em universitários.
Método: estudo transversal, realizado em uma Instituição de Ensino Superior no estado do Piauí - Brasil, em 2017, com 142 estudantes dos cursos de saúde. Utilizou-se a Escala de Desesperança de Beck, Escala de Ideação Suicida de Beck e questionário socioeconômico e acadêmico. Os dados foram analisados utilizando os testes exato de Fisher, Mann-Whitney e Kruskall-Wallis.
Resultados: dos estudantes com ideação suicida, 24 (77,4%) apresentaram nível de desesperança severa. Maiores médias na Escala de Desesperança foram observadas em estudantes do sexo masculino, que não frequentavam o curso desejado, com relato de insegurança quanto ao futuro profissional, usuários de álcool e outras drogas, com histórico de tentativa de suicídio, bullying e de humor deprimido.
Conclusão: A desesperança correlaciona-se com a presença de ideação suicida e baixo rendimento acadêmico, destacando a importância de ações de apoio físico, mental e de saúde acadêmica.


Palavras-chave


Ideação Suicida; Esperança; Estudantes de Ciências da Saúde; Saúde Mental; Fatores de Risco.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v26i0.76641 ';



Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico 2176-9133 / ISSN Impresso 1414-8536