CLASSIFICAÇÃO DE FAMÍLIAS SEGUNDO SITUAÇÕES DE RISCO

Eni Carmo Souza, Carla Priscila Santana, Paloma Souza Cavalcante, Maira Sayuri Sakay Bortoletto, Thais Aidar de Freitas Mathias

Resumo


Considerando a importância de se estabelecer o perfil da comunidade, este estudo descritivo objetivou classificar as famílias da área de uma Unidade de Saúde de Londrina-Paraná utilizando a Escala de Risco de Coelho. A análise de 889 fichas A do Sistema de Informação da Atenção Básica demonstrou que 11,2% famílias apresentaram algum risco, com predominância dos fatores biológicos, hipertensão e diabetes; e sociais como a relação de um ou mais morador por cômodo e desemprego, ocorrendo uma diferença significativa entre as microáreas investigadas. A Escala de Risco poderia ser potencializada ao incorporar outras situações, já pactuadas pela atenção primária, como idade inferior a um ano e superior a 60 anos, e gestação, entre outros. É importante que as equipes da Estratégia Saúde da Família utilizem método de classificação familiar, mas também incluam a avaliação e o monitoramento destas situações e verifiquem a qualidade das anotações e atualização da ficha A.

Palavras-chave


Saúde da família; Visita domiciliar; Fatores de risco.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ce.v18i1.31302 ';



Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Em caso de dificuldades ou dúvidas técnicas, faça contato com cogitare@ufpr.br

Cogitare Enfermagem. ISSN Eletrônico: 2176-9133