Entre estigmas e afetos: a experiência escolar de jovens em uma periferia de Curitiba-PR

Kamille Brescansin Mattar, Maria Tarcisa Silva Bega

Resumo


Este trabalho é resultado de pesquisa empírica, baseada em observação participante e realizada em escola da rede pública estadual em Curitiba, Paraná. De forma geral, pretende-se discutir a experiência dos jovens em termos escolares. A hipótese é que essa experiência é marcada pelas condições territoriais e sociais em que a escola está inserida: uma periferia. Por isso, pergunta-se se a condição de periferia da região repercute nas experiências dos estudantes. As interações no interior da escola e com a região se constituem nos objetos centrais, a partir dos quais defendemos que, de um lado, esta experiência é estigmatizante; de outro, é afetiva. Nesse sentido, argumenta-se que o processo de estigmatização se vincula e divide espaço com o processo de atribuir sentido à escola, por meio de uma potencial sociabilidade dos afetos. Por fim, questiona-se: se não a experiência desses jovens, o que, afinal, daria sentido à escola?


Palavras-chave


Sociologia Urbana; Juventude; Experiência escolar; Efeito-território; Afetos

Texto completo:

PDF

Referências


Andrade, Luciana Teixeira e Leonardo Souza Silveira. 2013. “Efeito-território: explorações em torno de um conceito sociológico”. Revista Civitas 13(2): 381-402. doi: https://doi.org/10.15448/1984-7289.2013.2.14295

Belmiro, Luís e Maria Tarcisa Silva Bega. 2018. “Desigualdade social e o processo de urbanização de Curitiba: o caso do Jardim Parque Iguaçu”. Tempo da Ciência 25: 147-161. doi: https://doi.org/10.48075/rtc.v25i49.20038

Belmiro, Luís. 2019. Da lama ao caos: a urbanização de Curitiba vista do Bolsão Audi-União. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Paraná. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/66413

Brandalize, Nina Melh. 2017. Uberaba e suas histórias. Curitiba: Imprensa Oficial do Estado do Paraná.

Caldeira, Teresa. 2000. Cidade de muros. São Paulo: Editora 34.

Dubet, François. 1994. Sociologia da Experiência. Lisboa: Instituto Piaget.

Durham, Eunice. 2004 [1986]. “A sociedade vista da periferia”. In: A dinâmica da cultura: ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify.

Feltran, Gabriel. 2010. “Periferias, direito e diferença: notas de uma etnografia urbana”. Revista de Antropologia 53(2): 565-610. doi: https://doi.org/10.11606/2179-0892.ra.2010.37711

Frúgoli Jr, Heitor. 2005. “O urbano em questão na Antropologia: interfaces com a Sociologia”. Revista Antropologia 48(1): 133-165. doi: https://doi.org/10.1590/S0034-77012005000100004

Goffman, Erving. 1982. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Zahar.

Kowarick, Lúcio. 2009. “Produção do espaço urbano e lutas sociais”. In: Escritos Urbanos. São Paulo: Editora 34.

Le Breton, David. 2012. “Por una antropología de las emociones”. Revista Latinoamericana de Estudios Sobre Cuerpos, Emociones y Sociedad 10 (4): 69‐79. Disponível em: http://www.relaces.com.ar/index.php/relaces/article/view/208/145

Lefebvre, Henri. 2006 [1974]. A produção do espaço. Trad. Doralice Barros Pereira e Sérgio Martins. Paris: Editions Antropos.

Magnani, José Guilherme. 2003. “A antropologia urbana e os desafios da metrópole”. Tempo Social 15(1): 81-95. doi: https://doi.org/10.1590/S0103-20702003000100005.

Mattar, Kamille Brescansin. 2019. Entre Vilas: a sociabilidade juvenil como produtora de sentidos em um Colégio na periferia de Curitiba. Dissertação. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Paraná. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/62770?show=full

Mayol, Pierre. 2013 [1994]. “Primeira parte: morar por Pierre Mayol”. In A invenção do cotidiano: morar, cozinhar. v. 2., org. M. de Certeau. Petrópolis: Editora Vozes.

Pereira, Alexandre Barbosa. 2010. “A maior zoeira”: experiências juvenis na periferia de São Paulo. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Universidade de São Paulo.

Pereira, Alexandre Barbosa. 2016. “A Juventude como questão: alteridade e autoridades em escolas da periferia de São Paulo”. Revista Anthropológicas 27(1): 102-131. doi: https://doi.org/10.1590/2175-623654713

Poker, José Geraldo. 2013. “Os sentidos de compreensão nas teorias de Weber e Habermas”. Revista Trans/Form/Ação 36(1): 221-244. doi: https://doi.org/10.1590/S0101-31732013000400014

Reguillo, Rossana. 1998. “El año dos mil, ética, política y estéticas: imaginarios, adscripciones y prácticas juveniles. Caso mexicano”. In: “Viviendo a toda”. Jóvenes, territorios culturales y nuevas sensibilidades, org. M. Margulis et al. Santa Fé de Bogotá: Universidad Central,Siglo del Hombre Editores.

Santos, Milton. 2006. “A força do lugar”. In: A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Editora da USP.

Santos, Milton. 2005. “O retorno do território”. OSAL: Observatorio Social de América Latina 6 (16): 252-261. Disponível em: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/osal/osal16/D16Santos.pdf

Santos, Viviane Vidal Pereira dos. 2017. Viver em condomínios verticais do programa “Minha Casa, Minha Vida” na periferia de Curitiba-PR: pós-ocupação, trajetórias e sociabilidade. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Sociologia, Universidade Federal do Paraná. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/48936?show=full

Silva, Madianita Nunas da. 2014. “Produção dos espaços informais de moradia na metrópole de Curitiba”. Revista Mercator 13(1): 63-78. doi: https://doi.org/10.4215/rm2014.1301.0005

Schmid, Christian. 2012. “A teoria da produção do espaço de Henri Lefebvre: em direção a uma dialética tridimensional”. GEOUSP – Revista Espaço e Tempo 32: 89-109. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2179-0892.geousp.2012.74284

Taylor, Charles. 2010. Imaginários sociais modernos. Lisboa: Edições Texto & Grafia.

Telles, Vera. 2015. “Cidade: produção de espaços, formas de controle e conflito”. Revista de Ciências Sociais 46 (1): 15-41 Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/revcienso/article/view/2423

Wautier, Anne Marie. 2003. “Para uma Sociologia da Experiência. Uma Leitura Contemporânea: François Dubet”. Revista Sociologias 09: 174-214. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-45222003000100007

Zaluar, Alba. 2004. “Masculinidades, crises e violências”. In: Integração perversa: pobreza e tráfico de drogas. Rio de Janeiro: Editora FGV.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v21i2.74219

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM