Um Brasil para todos os brasileiros. Homenagem aos vinte anos da Marcha Nacional dos Sem-Terra

Christine de Alencar Chaves

Resumo


O ensaio consiste na memória de importante evento político do período recente do país, a Marcha Nacional por Reforma Agrária, Emprego e Justiça, protagonizada pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra/MST, em 1997. Numa caminhada de dois meses, os trabalhadores rurais sem-terra lograram galvanizar a opinião pública nacional e problematizar importantes temas da cidadania, como o direito à terra, ao emprego, à justiça e à vida, colocando em questão a desigualdade social e o modelo de desenvolvimento do país. A apresentação fotográfica e textual focaliza o dia a dia dessa experiência social ímpar, buscando ressaltar as dimensões sensoriais e emocionais do fenômeno de multidão que foi a Marcha Nacional.

Palavras-chave


Antropologia da Política, Etnografia, Multidão

Texto completo:

PDF

Referências


CHAVES, Christine de Alencar. 2000. A Marcha Nacional dos Sem-Terra: um estudo sobre a fabricação do social. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

_________. 2006. “Os limites do consentido”. In. Claudia Fonseca & Jurema Brites (orgs). Etnografias da Participação. Santa Cruz do Sul: EDUNISC.

Canções Sem-Terra:

Procissão de Retirantes, de Pedro Munhoz.

Pra soletrar a liberdade, de Zé Pinto.

Floriô, de Zé Pinto.

Ordem e Progresso, de Zé Pinto.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v17i1.55476

Direitos autorais 2017 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista