Mediação e Imediatismo: formas sensoriais, ideologias semióticas e a questão do meio

Birgit Meyer

Resumo


Tomando como ponto de partida o paradoxo de que imediatismo não é anterior, mas antes um produto da
mediação, esse artigo argumenta que a negociação de tecnologias mediáticas recentes é um elemento-chave para
a transformação da religião. Invocada para autorizar a experiência de poderes espirituais como imediatos e reais, a
mídia tende a “desaparecer” ou se tornar “hiper-aparente” no ato da mediação. Argumento que entender a mídia
como intrínseca à religião exige uma crítica fundamental das abordagens, tanto da religião quanto da mídia, que
propõem uma oposição entre mídia e imediatismo.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/campos.v16i2.53464

Direitos autorais 2017 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista