Corpo sem classe:elegância natural e teatralidade elegante

Joana Brito de Lima Silva

Resumo


O objetivo desse artigo é mostrar, a partir de publicações sobre elegância em portais de internet brasileiros e franceses, um controvertido processo de ensino-aprendizagem: na teoria, afirma-se que, independentemente da classe social, a essência elegante se manifestaria nas escolhas feitas de acordo com um referencial de medida certa; na prática, exige-se uma sabedoria prévia para ser elegante, que expresse naturalidade. Eis o ponto da controvérsia: como agir naturalmente quando se interioriza um roteiro para encenar o papel de pessoa elegante? Assim, o artigo discute as contradições e consequências dessa reificação da elegância; isto é, como a teatralidade da conduta transforma-se numa naturalidade encenada: de um lado, o corpo de classe (socializado na classe alta) expressa o papel de membro da elite legitimamente elegante, de outro, um corpo sem classe (fora da elite) segue o mesmo script, na tentativa de encenar a elegância pré-fabricada e comercializada pelas mídias especialistas no assunto.

Palavras-chave


corpo, classe, elegância, elites, mídias

Texto completo:

PDF

Referências


BAUDELAIRE, Charles. 2009. “O dândi”. In H. de Balzac, C. Baudelaire & J. B. D’Aurevilly. Manual do Dândi: a vida com estilo. Belo Horizonte: Autêntica.

BOLTANSKI, Luc. 2004. As classes sociais e o corpo. São Paulo: Paz e Terra.

BOURDIEU, Pierre. 2007. Meditações Pascalianas. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

BOURDIEU, Pierre. 2008. A Distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp; Porto Alegre: Zouk

BOURDIEU, Pierre. 2014. "Notas provisórias sobre a percepção social do corpo". Pro-posições 25(1): 247-256.

https://doi.org/10.1590/S0103-73072014000100014

D’AURERVILLY, Barbey. 2009. “O dandismo e George Brummel”. In H. de Balzac, C. Baudelaire & J. B. D’Aurevilly. Manual do Dândi: a vida com estilo. Belo Horizonte: Autêntica

DALOZ, Jean-Pascal. 2010. The sociology of elite distinction: from theoretical to comparative perspec- tives. New York: Palgrave Macmillan.

DELEUZE, Gilles & Félix Guattari. 1996. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia- vol. 3. Rio de Janeiro: Editora 34.

DETREZ, Christine. 2002. La construction sociale du corps. Paris: Editions du Seuil.

ELIAS, Norbert. 1993. O processo civilizador: formação do Estado e civilização (Volumes I e II). Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

ELIAS, Norbert. 2001. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Jorge Zahar

FERREIRA, Marcelo. 2001. "Permeável, ma non troppo? A mobilidade social em setores de elite, Brasil, 1996". Revista Brasileira de Ciências Sociais 16(47).

https://doi.org/10.1590/S0102-69092001000300009

FOUCAULT, Michel. 2003. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Vozes.

HABERMAS, Jürgen. 2003. Mudança estrutural da esfera pública: investigações quanto a uma categoria da sociedade burguesa. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro

LEÃO, Danuza. 2009. De malas prontas. São Paulo: Companhia das Letras.

LIPOVETSKY, Gilles & Elyette Roux. 2003. Le luxe éternel: de l’âge du sacré au temps des marques. Paris: Gallimard.

MARION, Gilles. 2005. “Objets et marques de luxe”. In O. Assouly (dir.). Le luxe: essais sur la fabri- que de l’ostentation. Paris: Editions de L’Institut Français de la Mode/Editons du Regard.

MARX, Karl. 1979. História. São Paulo: Ática. Coletânea e Tradução de Florestan Fernandes (Coleção Grandes Cientistas Sociais).

MAUSS, Marcel. 1974. Sociologia e antropologia. São Paulo: EPU-EDUSP

PINÇON, Michel & Monique Pinçon-Charlot. 2013. La violence des riches: chronique d’une immense casse sociale. Paris: La Découvert

PULICI, Carolina Martins. 2009. "Os atentados ao 'bom gosto': regras da 'arte de viver legítima' na capital paulista". Revista USP 81:148-160.

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i81p148-160

PULICI, Carolina Martins. 2010. O charme (in)discreto do gosto burguês paulista: estudo sociológico da distinção social em São Paulo. Tese de doutorado em sociologia. São Paulo: FFLCH-USP, 326p

PINSKY, J. (org). 2005. Cultura e elegância: as artes, o mundo e as regras sociais. São Paulo: Editora Contexto

WEBER, Max. 1981. A ética protestante e o espírito do capitalismo. São Paulo: Pioneira; Brasília: Ed. UnB.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v17i1.49622

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM