Formas do parentesco: grafismo e enunciação no Vale de Araotz (País Basco)

Ion Fernández de las Heras

Resumo


Proponho refletir sobre o uso de imagens técnicas nos escritos antropológicos. Interessado em explorar disciplinarmente as possibilidades dos meios analógicos sugiro duas vias propositivas. A primeira tem a ver com a necessidade de analisar o uso que os antropólogos fazem das imagens, o que me coloca em diálogo com metodologias próximas ao trabalho de determinados historiadores da arte. Desse modo, tratarei de delimitar quatro perspectivas (em três subcapítulos) sobre a relação entre imagens técnicas e imagens artísticas e sobre a produção e análise das mesmas. A segunda via, dependente das conclusões da primeira, diz a respeito de uma antropologia capaz de pensar desde e através das imagens, isto é, capaz de produzi-las reflexivamente. Uma proposição como essa será problematizada a partir da afirmação de Evans-Pritchard de que a antropologia é uma arte.

Palavras-chave


Metodologia antropológica; Antropologia da imagem; Imagem técnica; Virada Icónica; Antropologia Visual

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cra.v18i1-2.47244

Direitos autorais 2018 Direitos Autorais para artigos publicados nesta revista são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista