Antropologia Sócio-Cultural Hoje Uma visão

Aleksandar Boskovic

Resumo


Este artigo oferece uma desconstrução da idéia de crise da antropologia, ligando-a com um modo de pensar em moda na virada do milênio, mas que recebeu pouco apoio na prática. Argumenta-se que esta noção de crise só pode ser aplicada a alguns segmentos da antropologia anglo-americana, não à disciplina como um todo. O artigo também inclui uma apresentação de alguns dos mais importantes debates e questões terminológicas presentes nos séculos 19 e 20, com ênfase especial no funcionalismo. Um dos argumentos é que algumas das críticas recentemente popularizadas da disciplina devem ser contextualizadas; sua relação com o colonialismo, por exemplo, dado que o papel do antropólogo neste empreendimento foi na verdade muito limitado. O artigo apresenta cinco grupos de temas cruciais para os quais a
antropologia contemporânea se volta e sobre os quais algumas das pesquisas mais interessantes estão sendo feitas. Eles são: questões de identidade; pesquisas sobre o corpo; consumo e cultura material; estudos sobre espaço e hibridismo; mídia e cultura popular. Finalmente, advoga-se que a antropologia social e cultural desenvolveu-se muito desde 1911, alcançando um ponto em que pode servir como uma ferramenta poderosa para o entendimento de todas as complexidades do mundo contemporâneo.

Palavras-chave


história da antropologia; teoria antropológica; antropologia contemporânea; history of anthropology; anthropological theory; anthropology contemporary aspects

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v6i0.4517

Direitos autorais