Do Ocaso do Passado à Relíquia do Presente: Uma trajetória de vida em torno da arte rupestre na Patagônia Argentina

Carolina Crespo

Resumo


A intenção deste trabalho é argumentar a favor do caráter intangível e não apenas tangível do patrimônio arqueológico e demonstrar a importância das narrativas de vida na compreensão de alguns dos sentidos associados hoje e este tipo de patrimônio. Para isso examinamos, a partir da perspectiva analítica proposta por Bauman e Briggs (2000), como se imbricam ou dialogam a memória biográfica da proprietária do terreno onde se situa um sítio de arte rupestre em Lago Pueblo, província de Chubut, Patagônia Argentina, e a memória social que este representa enquanto lugar de memória, reconhecido como patrimônio cultural provincial. Focalizamos a análise particularmente em três eixos ou tensões que organizam a narrativa da proprietária, mas que, a nosso ver, também nos situam na trajetória seguida pelas pinturas rupestres até a atualidade.

Palavras-chave


patrimônio arqueológico; narrativas de vida; memória; Lago Puelo; Patagônia Argentina; archaeological heritage; personal narratives; memory; Lago Puelo; archaeological heritage; personal narratives; memory

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v6i0.4511

Direitos autorais