“Situação Etnográfica” e Movimentos Étnicos. Notas sobre o trabalho de campo pós-malinowskiano

Bruce Albert

Resumo


Este artigo analisa as mudanças nos parâmetros políticos, éticos e epistemológicos do trabalho de campo antropológico clássico induzidas pela emergência em escala mundial de movimentos políticos indígenas e de ONGs que os apoiam. Primeiramente são examinadas as conexões entre as políticas de desenvolvimento do pós-guerra e a emergência dessas organizações indígenas e indigenistas. Segue-se uma discussão geral sobre as relações entre lutas etnopolíticas, ativismo antropológico, pesquisa etnográfica e “observação participante”. Consideram-se  finalmente as condições de independência intelectual de uma antropologia engajada e as possíveis potencialidades heurísticas de sua nova perspectiva de “participação observante”.


Palavras-chave


Ativismo antropológico; Trabalho de campo antropológico; Movimentos etnopolíticos; Povos indígenas; Observação participante; Antropologia Social.

Texto completo:

AHEAD OF PRINT PDF FINAL


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/campos.v15i1.42993

Direitos autorais