“Exportação de pés”. Jogadores brasileiros de futsal na Itália e redes transnacionais.

Joao Carlos Tedesco

Resumo


O texto analisa aspectos da realidade emigratória de jogadores brasileiros de futsal na Itália evidenciando seus canais de intermediação, simbologias desenvolvidas em torno da brasilidade no futebol da Europa, a idealização e importância da família e algumas das contradições que a realidade apresenta. Concluímos que há um grande dinamismo imigratório de jogadores, os brasileiros estão presentes nos grandes times e competições internacionais, participam de seleções de outros países. Há um amplo universo estruturado em redes transnacionais e que dá a configuração de uma realidade que o futsal também dimensiona.


Palavras-chave


imigração; jogadores de futsal; brasileiros, Itália.

Texto completo:

PDF FINAL

Referências


ALCÂNTARA, Hélio. 2006. "A magia do futebol". Estudos avançados 20(57): 297 -313. https://doi.org/10.1590/S0103-40142006000200021

ARAÚJO, Ricardo Benzaquem. 1980. Os gênios da pelota: um estudo do futebol como profissão. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) - Museu Nacional, Rio de Janeiro.

BARTHOLO, Tiago L.; SOARES, Antonio J. G. 2006. “Identidade, negócio e esporte no mundo globalizado: o conflito entre Guga e os patrocinadores na Olimpíada de Sidney”. Revista Brasileira de Ciência do Esporte 28 (1): 55-72.

BOURDIEU, Pierre. 1992. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva.

DA MATTA, Roberto. (org.). 1982. Universo do futebol: esporte e sociedade brasileira. Rio de Janeiro: Pinakotheke.

DAMO, Arlei S. 2007. Do dom à profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir de formação de jogadores no Brasil e na França. São Paulo: Hucitec/Anpocs.

DARBY, Paul. 2006. “Migração para Portugal de jogadores de futebol africanos: recurso colonial e neocolonial”. Análise Social XLI (179): 417-433.

FREIRE, João B. 1998. Pedagogia do futebol. Londrina: Midiograf.

LEITE, José R. 2012. “Brasileiros da Itália confundem línguas no futsal e dizem que rixa do time com Falcão já passou”. Uol Esporte. Recuperado em 22/03/2013, de http://www.espbr.com/noticias/brasileiros-italia-confundem-linguas-nofutsal- dizem-rixa-time-falcao-ja-passou

NASCIMENTO, Gilberto. 2006. “De onde vêm os craques?”. Revista Isto É, n. 1892, 25/01/2006. Recuperado em 06/11/2011, de http://www.istoe.com.br/reportagens/3311_DE+ONDE+VEM+OS+CRAQUES?

NERY, André L. “A exportação de atletas supera a de bananas”. Portal G1, 30/07/2007. Recuperado em 30/10/2011, de http://www.adur-rj.org.br/5com/pop-up/exportacao_de_atletas.htm

NGOUO, Boris. 2004. Terrain mine: football, la foire aux illusions. Paris: Éd. Michel Lafon.

OLIVEIRA, Leonardo. 2012. “Para ensinar pai e filho”. Zero Hora. Porto Alegre, 9/01/ 2012. p. 34.

PIRAUDEAU, Bertrand. 2011. "Le jeunes joueurs africains". Migrations Société 133(23): 11-29. https://doi.org/10.3917/migra.133.0011

PRATES, Renan. “Copa do Mundo de futsal terá 35 jogadores brasileiros em ação”. Uol Esporte, 29/09/2008. Recuperado em 06/11/2013, de http://esporte.uol.com.br/futsal/ultimas/2008/09/29/ult71u1872.jhtm.

RIAL, Carmen. 2004. Os boleiros em Andaluzia: um estudo da imigração de jogadores de futebol brasileiro à Espanha. Brasília: MECD. Relatório de Pesquisa Capes.

RIAL, Carmen. 2006. "Os jogadores brasileiros na Espanha: emigrantes, porém...". Revista de Dialectología y Tradiciones Populares 61(2): 163-190. https://doi.org/10.3989/rdtp.2006.v61.i2.20

RIAL, Carmen. 2008. "Rodar: a circulação de jogadores de futebol brasileiros no exterior". Horizontes Antropológicos 14 (30): 68-92. https://doi.org/10.1590/S0104-71832008000200002

RODRIGUES, Francisco X. F. 2010. "O fim do passe e as transferências de jogadores brasileiros em uma época de globalização". Sociologias 12 (24): 238-258. https://doi.org/10.1590/S1517-45222010000200012

SCAGLIA, Alcides J. 1999. O futebol que se aprende e se ensina. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Campinas – Unicamp.

SOUZA, Camilo A. M. 2008. "Difícil reconversão: futebol, projeto e destino em meninos brasileiros". Horizontes Antropológicos 14 (30): 7-17. https://doi.org/10.1590/S0104-71832008000200004

TEDESCO, João C. 2012. Entre raízes e rotas: identidades e culturas em movimento. Aspectos da imigração brasileira na Itália. Vale do Itajaí/Passo Fundo: Univali/UPF Editora.

TOLEDO, Luiz Henrique. 2002. Lógicas no futebol. São Paulo: Hucitec/Fapesp.

VELHO, Gilberto. 1999. Projeto e metamorfose: antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Zahar.

YONNET, Paul. 2007. "Football: les paradoxes de l'identité". Le Débat 146: 178-191. https://doi.org/10.3917/deba.146.0178




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/campos.v15i1.35784

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais