A realidade do mundão: uma narrativa sobre a sociedade e a produção da desigualdade

Mariana Medina Martinez

Resumo


Neste artigo apresento uma narrativa feita por “moradores de rua” sobre a sociedade e a produção da desigualdade. Este estudo é resultado de uma pesquisa de campo realizada durante uma oficina que coordenei numa instituição de assistência social em São Carlos/SP. Trata-se de um discurso crítico sobre a produção da verdade acerca das relações sociais. A verdade, para eles, só pode ser extraída do conflito – o ponto central das relações. O texto segue em dois eixos analíticos: no primeiro, apresento o modo pelo qual os “moradores de rua” percebem as desigualdades e seus mecanismos reprodutores, e, no segundo, mostro como esses atores respondem criativamente à mecânica da exclusão, elaborando táticas de evasões cotidianas. Busco com isso contribuir, num plano analítico maior, para a reflexão sobre os conflitos sociais presentes na dinâmica sociopolítica urbana.

Palavras-chave


moradores de rua; conflitos sociais; relações de poder; antropologia política.

Texto completo:

PDF

Referências


BERTELLI, Giordano. 2012. Errâncias racionais: apontamentos sobre RAP e política. Paper apresentado no 36º Encontro Anual da ANPOCS, Águas de Lindóia, SP.

BIONDI, Karina. 2010. Junto e misturado: uma etnografia do PCC. São Paulo: Editora Terceiro Nome.

BIONDI, Karina & MARQUES, Adalton. 2010. “Memória e historicidade em dois ‘comandos’ prisionais”. Lua Nova 79:39-70. https://doi.org/10.1590/S0102-64452010000100004

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). 2008. Pesquisa Nacional sobre População em situação de rua. DF.

CALDEIRA, Teresa. 1984. A Política dos Outros: o cotidiano dos moradores da periferia e o que pensam do poder e dos poderosos. São Paulo: Brasiliense.

DE CERTEAU, Michael. 1998. A invenção do cotidiano 1. Artes de fazer. Petrópolis: Vozes.

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Felix. 1995. “Postulados da linguística”. In Mil platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. Vol. 2. São Paulo: Editora 34.

DELEUZE, Gilles & GUATTARI, Felix. 1997. “Tratado da nomadologia”. In Mil platôs: Capitalismo e Esquizofrenia. Vol. 5. São Paulo: Editora 34.

DE LUCCA. Daniel. 2009. Morte e vida nas ruas de São Paulo: a biopolítica vista do centro. Monografia. Departamento de Geografia, Universidade de São Paulo: São Paulo.

DURHAM, Eunice. 1973. A caminho da cidade. São Paulo: Perspectiva

FOUCAULT, Michel. 1984. História da Sexualidade III – o cuidado de si. Rio de Janeiro: Graal.

FOUCAULT, Michel. 2005 [1976]. Em defesa da sociedade: curso dado no Collège de France (1976-1977). São Paulo: Martins Fontes.

FOUCAULT, Michel. 2008. [1978]. Segurança, Território e População: curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes.

FELTRAN, Gabriel. 2007. “A fronteira do direito: política e violência na periferia de São Paulo”. In E. Dagnino & L. Tatagiba (orgs.). Democracia, Sociedade Civil e Participação. Chapecó.

FELTRAN, Gabriel. 2008. Fronteiras de tensão: um estudo sobre política e violência nas periferias de São Paulo. Tese de Doutorado. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas.

FELTRAN, Gabriel. 2010. “Crime e castigo na cidade: os repertórios da justiça e a questão do homicídio nas periferias de São Paulo”. Caderno CRH 23: 59-74. https://doi.org/10.1590/S0103-49792010000100005

FELTRAN, Gabriel de Santis. (2010). Introdução. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, (79), 9-13. https://dx.doi.org/10.1590/S0102-64452010000100002

GIMENO, Patrícia. 2009. Poética versão: a construção da periferia no rap. Dissertação de Mestrado, Departamento de Antropologia: UNICAMP.

GUASCO, Pedro. 2001. Num país chamado periferia: identidade e representação da realidade entre os rappers de São Paulo. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social: Universidade de São Paulo.

HARAWAY, Donna. 1985. “Manifesto for Cyborgs: Science, Technology, and Socialist Feminism in the 1980s”. Socialist Review 80: 65-108.

HIRATA, Daniel. 2010. Sobreviver na adversidade: entre o mercado e a vida. Tese de Doutorado. Departamento de Sociologia: Universidade de São Paulo.

JULLIEN, François. 2008. O diálogo entre as culturas: do universal ao multiculturalismo. São Paulo: Editora Zahar.

JULLIEN, François. 2008. “Universels, les Droits de l’Homme?”, Le Monde Diplomatique, fev.

KOWARICK, Lúcio. 1979. A espoliação urbana. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

MACHADO DA SILVA, Luiz. 2004. “Sociabilidade violenta: por uma interpretação da criminalidade contemporânea no Brasil urbano”. Sociedade e Estado 19(1): 53-84. https://doi.org/10.1590/S0102-69922004000100004

MALVASI, Paulo. 2011. Interfaces da vida loka: um estudo sobre jovens, tráfico de drogas e violência em São Paulo. Tese de Doutorado. Faculdade de Saúde Pública: Universidade de São Paulo.

MALVASI, Paulo. 2011. “‘Choque de mentes’: dispositivos de controle e disputas simbólicas no sistema socioeducativo”. R@u - Revista de Antropologia Social dos Alunos do PPGAS-UFSCar 3. https://doi.org/10.52426/rau.v3i1.51

MARQUES, Adalton. 2009. Crime, proceder, convívio-seguro: um experimento antropológico a partir de relações entre ladrões. Dissertação de Mestrado. Departamento de Antropologia: Universidade de São Paulo.

MARQUES, Adalton. 2010. “Liderança, proceder e igualdade: uma etnografia das relações políticas no Primeiro Comando da Capital”. Etnográfica 14: 311-335. https://doi.org/10.4000/etnografica.303

MARTINEZ, Mariana. 2011. Andando e parando pelos trechos: uma etnografia das trajetórias de rua em São Carlos. Dissertação de Mestrado. Departamento de Ciências Sociais: Universidade Federal de São Carlos.

MISSE, Michel. 2006. Crime e Violência no Brasil Contemporâneo: estudos de sociologia do crime e da violência urbana. Rio de Janeiro: Lumen Juris Editora.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO CARLOS. 2010. Plano de Atendimento à População em situação de rua do Centro de Referência Especializado de Assistência Social – Unidade de Atendimento à população em situação de rua. No prelo.

RANCIÈRE, Jacques. 2005. A partilha do sensível: estética e política. São Paulo: Ed. 34.

SANTOS, Wanderley. 1979. Cidadania e Justiça: a política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Editora Campus Ltda.

SILVA, Vivian & HERRERA, Ana. 2008. “Experiência de Gestão Municipal Atendimento a Pessoas em situação de rua”. In Anais do Seminário Nacional sobre População em Situação de rua: Perspectivas e Políticas Públicas. São Carlos.

STRATHERN, Marilyn. 1991. “One Man and Many Men”. In M. Strathern & M. Godelier (Orgs.). Big Men and Great Men: Personifications of Power in Melanesia. Cambridge: Cambridge University Press.

STRATHERN, Marilyn. 2006. O gênero da dádiva. Campinas: Editora da UNICAMP.

TELLES, Vera. 2010. “Nas dobras do legal e do ilegal: ilegalismos e jogos de poder nas tramas da cidade”. Dilemas: revista de estudos de conflitos e controle social 2(5-6).

TELLES, Vera & HIRATA, Daniel. 2010. “Ilegalismos e jogos de poder em São Paulo”. Tempo Social: revista de sociologia da USP 22(2). https://doi.org/10.1590/S0103-20702010000200003

WAGNER, Roy. 1991. “The Fractal Person”. In M. Strathern & M. Godelier (orgs.). Big Men and Great Men: Personifications of Power in Melanesia. Cambridge: Cambridge University Press.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v12i2.30616

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais