O quebrar castanha e o criar gado em um seringal acreano

Karine Lopes Narahara

Resumo


No seringal Porongaba, no leste do Acre, os grupos domésticos tem como principal fonte monetária o quebrar castanha. O escoamento da castanha fica a cargo dos patrões, que, diferente dos patrões de antigamente, não exercem monopólio sobre a compra de produtos extrativistas e venda de mercadorias. O criar gado, além de constituir uma importante forma de patrimônio transmitido entre gerações, possibilita aos grupos domésticos uma certa autonomia econômica e política, estabelecendo também diferenças de status. O presente artigo analisa o quebrar castanha e o criar gado enquanto atividades inseridas num ambiente social próprio da vida nas colocações, permitindo compreender por que se fazem presentes nesse seringal e como se complementam.


Palavras-chave


Amazônia; Acre; Reserva Extrativista; seringal; castanha; gado

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v13i1.28772

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais