Do Um e do Todo: o Anti-Dualismo de Gregory Bateson e Marilyn Strathern

Gustavo Baptista Barbosa

Resumo


O presente artigo procura aproximar e distanciar as construções teóricas de Gregory Bateson e Marilyn Strathern. Com tal objetivo, procede por abdução: identifica no 'sintoma' - a 'afecção' que os dois antropólogos exercem sobre o autor do artigo - indícios que permitem aproximar o pensamento de Bateson e Strathern em função do anti-dualismo de que comungam. O idealismo peculiar de um e de outro reconhece privilégio analítico para as relações e os padrões que conectam, cuja consideração sugere saída para as opções excludentes entre pares dicotômicos a que determinada Antropologia tradicionalmente se viu forçada: partes ou todos; história ou estrutura; mudança ou permanência; sincronia ou diacronia; indivíduo ou sociedade.

 


Palavras-chave


Teoria Antropológica; Gregory Bateson; Marilyn Strathern; Anti-Dualismo; Relações; Indivíduo e Sociedade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/cam.v12i1.21934

Direitos autorais