Open Journal Systems

O “capital corporal” como catalisador da transição da carreira esportiva à circense

Luíza Gonçalves Carneiro Maioli, Marco Antonio Coelho Bortoleto

Resumo


O trânsito entre a carreira esportiva e a artístico-circense não é uma novidade, porém parece ter se intensificado nas últimas décadas. Após realizarmos distintos estudos de caso preliminares, a presente pesquisa teve como objetivo estudar atletas brasileiros adultos que se tornaram artistas profissionais de circo buscando compreender os principais elementos que viabilizaram essa transição profissional. Por meio de um questionário semiestruturado, obtivemos um total de 33 respostas, analisadas de modo quali-quantitativo. Os resultados salientam que o treinamento corporal prolongado e disciplinado que caracteriza o desporto de alto rendimento representa um elemento fundamental para a transição profissional, sugerindo o “capital corporal” como aspecto catalisador desse processo. Desse modo, a trajetória esportiva possui papel relevante na aquisição de hábitos, perfil psicológico e repertório técnico-corporal que facilitam a transição profissional para o particular território da arte circense.

Palavras-chave


Carreira profissional; transição laboral; experiência; esporte; circo.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. G. V. Ritual, risco e arte circense: o homem em situações-limite. Brasília: Ed. da Universidade de Brasília, 2008. 314 p.

LIMA, Letícia Bartholomeu de Queiroz Lima. Fatores que influenciam o sucesso esportivo internacional da ginástica artística feminina brasileira. Tese de doutorado: Faculdade de Educação Física – UNICAMP, 2020. Disponível em:

BARRETO, Mônica Alves; DUPRAT, Rodrigo Mallet; BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. De norte a sul: Mapeando a formação em circo no Brasil. Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, Florianópolis, v. 3, n. 42, dez. 2021. Disponível em:

BOLOGNESI, M. F. O corpo como princípio. Trans/Form/Ação, vol. 24, n.1, pp.101-112, 2001. Disponível em:

BORTOLETO, M. A. C. A ginástica artística masculina (GAM): observando a cultura de treinamento desde dentro. Motricidade. 2007. Disponível em: . Acesso em: julho, 2021.

BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. A ginástica e as atividades circenses. In: GAIO, R. A ginástica em questão: corpo e movimento, Phorte, v. 2, 2010.

BORTOLETO, M. A. C. Atividades circenses: notas sobre a pedagogia da educação corporal e estética. Cadernos de Formação - Revista Brasileira de Ciências do Esporte. v. 2, p. 30-42, 2011. Disponível em: Acesso em: maio, 2017.

BORTOLETO, Marco Antonio Coelho; MIRANDA, Rita de Cassia Fernandes. Não foi casualidade- o circo como opção profissional: entrevista com André Sabatino. Conexões, v. 16, n. 3, p. 395-408, 2018. https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/conexoes/article/view/8652918

BORTOLETO, M. A. C.; ONTAÑÓN, T. B.; SILVA, E . (Org.). Circo: horizontes educativos. 1ed.Campinas - SP: Autores Associados, 2016.

BOURDIEU, P. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1992.

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Ed. Marco Zero Ltda, 1983.

BRANDÃO, Maria Regina Ferreira et al. Causas e conseqüências da transição de carreira esportiva: uma revisão de literatura. Rev Bras Cienc Mov, v. 8, n. 2, p. 49-58, 2000. https://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/355

CAMPOS, Rafaella Cristina; CAPPELLE, Mônica Carvalho Alves; MACIEL, Luiz Henrique Rezende. Carreira esportiva: o esporte de alto rendimento como trabalho, profissão e carreira. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 18, n. 1, p. 31-41, 2017. http://dx.doi.org/10.26707/1984-7270/2017v18n1p31

COSTA, Vitor Ricci. O encerramento da carreira esportiva na Ginástica Artística Feminina do Brasil. 2018. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

DAMO, A. S. Do dom à profissão: a formação de futebolistas no Brasil e na França. São Paulo: Hucitec: Anpocs, 2007.

DA SILVA RIBEIRO, Camila; BORTOLETO, Marco Antonio Coelho; RIGO, Luiz Carlos. Circo e esporte: transição de carreira e capital corporal. Repertório, v. 1, n. 35, 2020. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/revteatro/article/view/35559

DALMAU, A. R. El circo en la vida barcelonesa: crónica anecdótica de cien años circenses. Barcelona: Milla, 1947.

DOS SANTOS, I. R. De atleta a artista: a transição de carreira da carreira de ginastas para o circo. Trabalho de Conclusão de Curso. (Graduação Educação Física e Esporte), Universidade de São Paulo (USP), 2016.

DENZIN, N., & LINCOLN, Y. The Sage handbook of qualitative research. 3a ed.: Londres: Sage Publishing, 2005.

DICKOW, K. M. C. Capital corporal: um estudo sobre a relação entre corpo e gênero na dança de salão a partir de uma perspectiva sociológica de Pierre Bourdieu. Rev. Educação, Artes e Inclusão. Vol 18, n. 2, 2020. https://www.revistas.udesc.br/index.php/arteinclusao/article/view/15197

DUPRAT, R. M. Realidades e particularidades da formação do profissional circense no Brasil: rumo a uma formação técnica e superior. Tese (Doutorado em Educação Física), Universidade Estadual de Campinas, 2014.

DUPRAT, Rodrigo Mallet; BORTOLETO, Marco Antonio Coelho. O corpo na formação dos circenses. ILINX - Revista do LUME, n. 8, 2015. https://orion.nics.unicamp.br/index.php/lume/article/view/374

HAUW, Denis. L’Acrobatie. Paris: Revue EPS, 2010.

HOEL, P.G. Estatística Matemática. 4. ed. Rio de Janeiro: Guanabara dois, 1995. 374p.

JANOWSKI, Daniele Andrea; DE MEDEIROS, Cristina Carta Cardoso. Corpo social e capital corporal: considerações a partir da teoria sociológica de Pierre Bourdieu. Problemata: Revista Internacional de Filosofia, v. 9, n. 2, p. 283-293, 2018. https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/problemata/article/view/41247

KRIPPENDORFF, K. Content Analysis: An introduction to its methodology. Sage Publications, 2018.

LAVERS, Katie; LEOURX, Louis Patrick; BURTT, Jon. Contemporary Circus. 1st Edition. Londres: Routledge, 2020.

LOPES, D.C; EHRENBERG, M. C. Entre o pódio e o picadeiro: o sportsman circense Zeca Floriano. Revista História da Educação (Online), 2020, v. 24: e94488, 1-29pp. https://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/94488

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 5. ed.-São Paulo: Atlas, 2003.

RAMÍREZ, G.M. L'entraînement acrobatique au sein du cirque. Paris: L’Harmattan, 2005.

PARLEBAS, Pierre; DUGAS., Eric. Transfert d’apprentissage et domaines d’action motrice. Education Physique et Sportive, 1998, 270: 41-47

SANTOS, C. A. Fascínio Circense: Arte e Pedagogia na Escola Nacional de Circo. Editoria própria, 1a. Ed., 2016.

RIBEIRO, Camila da Silva. Artistas/Atletas: Aproximações e intersecções entre o esporte e o novo circo. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pelotas, 2015.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. Cortez editora, 2017.

SILVA, E. O novo está em outro lugar. In Palco Giratório, Rede Sesc de Difusão e Intercâmbio das Artes Cênicas. Rio de Janeiro, 2011.

SOARES, C. L. Acrobacias e Acrobatas: notas para um estudo do corpo. In: Bruhns, H. T.; Gutierrez, G. L. (Org.). Representações do Lúdico. 1ed. Campinas: Autores Associados, 2001, v. 1, p. 33-42.

ULMANN, Jacques. De la gymnastique aux sports modernes: histoire des doctrines de l’éducation physique. Paris:Vrin, 1965.

WACQUANT, Loïc. Putas, escravos e garanhões: linguagens de exploração e de acomodação entre boxeadores profissionais. Mana, v. 6, n. 2, p. 127-146, 2000. https://doi.org/10.1590/S0104-93132000000200005

WACQUANT, L. De corpo e alma: notas etnográficas de um aprendiz de boxe. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

n, 2008

WALLON, E. (Org.). O circo no risco da arte. Belo Horizonte: Autêntica, 2008. 189 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ra.v15i1.88237

Apontamentos

  • Não há apontamentos.