Open Journal Systems

FAUNA EDÁFICA EM ÁREAS COM DIFERENTES MANEJOS E TEMPOS DE DESCARTE DE RESÍDUOS ANIMAIS

Luís Carlos Iuñes Oliveira Filho, Luciana Ferro Schneider, Juliano Silva Teles, Silvia Danieli Werter, Julio Cesar Pires Santos

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a presença da fauna edáfica sob diferentes manejos e tempos de descarte de resíduos animais. As áreas utilizadas para o estudo foram diferenciadas pelos seguintes manejos: mata nativa, pastagem nativa sem descarte e as áreas de uso agrícola: pastagem de azevém com 5 e 17 anos de descarte de resíduos animais, milho para silagem com 9 e 22 anos de descarte, pastagem sem pastejo com 22 anos de descarte. Em cada época de coleta foram amostrados 9 pontos por área, com espaçamento de 30 metros entre cada ponto. Foram realizadas avaliações da fauna (método do Berllese e TSBF) e atributos físicos e químicos. Utilizou-se a curva de resposta principal (CRP) para observar o comportamento das áreas ao longo do tempo e análise de redundância (ADR) para os atributos que explicaram a variabilidade dos grupos da fauna edáfica. A área de pastagem com 22 anos se mostrou mais estável em relação as demais (exceto a mata nativa) quanto ao comportamento da densidade dos organismos ao longo do tempo pela CRP. Os atributos MO e Cu foram variáveis explicativas significativas na ADR para as duas metodologias considerando todas as épocas de coleta. O descarte continuado de resíduos animais no solo ocasiona mudanças no ambiente influenciando as populações da fauna edáfica.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rsa.v19i1.54466