“Ele segue vivo”: devires audiovisuais no programa televisivo Zero1

Camila de Ávila, Gustavo Daudt Fischer

Resumo


O artigo traz reflexões a partir da tecnocultura audiovisual para identificar os contágios no meio tevê pelo YouTube, tomando como corpus uma edição do programa Zero1, da Rede Globo. São acionados conceitos como audiovisualidades, memória e interface e, metodologicamente, realizam-se dissecações e scanning, nos termos propostos por Kilpp e Flusser, respectivamente. Ao final, propõe-se três ordens de pistas: as de caráter técnico-estético pelo uso de imagens de computador dentro do programa, as "verticais" pela inscrição de marcas visuais características de determinados canais do YouTube e a própria memória televisiva que se atualiza pelo circuito de contágios entre TV e internet.

Palavras-chave


Zero1; Televisão; Audiovisualidades; Tecnocultura; Memória.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/2238-0701.2021n22.07