COMPARAÇÃO DE TRÊS MÉTODOS DE REFRIGERAÇÃO DO SÊMEN OVINO PELO PERÍODO DE 24 E 48 HORAS.

Tacia Gomes Bergstein-Galan, Romildo Romualdo Weiss, Melina A. F. Bertol, Ana Claudia M R Abreu, Amanda Wesolovsky

Resumo


A manutenção do sêmen ovino refrigerado apresenta vantagens quando comparado ao sêmen fresco e congelado. O objetivo deste trabalho foi avaliar três equipamentos de refrigeração, à 5°C, do sêmen ovino com base nas análises in vitro da motilidade total, vigor, morfologia espermática e teste hiposmótico (HOST). As amostras seminais foram refrigeradas em geladeira (G1), equipamento automatizado (G2) e dispositivo móvel (G3) durante 24 horas (MI) e 48 horas (MIII). Foi realizado teste de exaustão pela incubação por quatro horas à 37°C das amostras mantidas refrigeradas por 24 horas (MII) e 48 horas (MIV). Não houve diferença (P>0,05) entre os equipamentos de refrigeração em todos os parâmetros analisados. Conclui-se que os três métodos de refrigeração foram eficientes em manter os parâmetros in vitro de qualidade espermática similares ao sêmen fresco até 24 horas. Após 48 horas de refrigeração, em todos os métodos, houve decréscimo (P<0,05) da motilidade total, porém sem alteração (P>0,05) do vigor, morfologia espermática ou HOST.


Palavras-chave


reprodução; biotecnologia; ovino

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/avs.v21i4.45201

Archives of Veterinary Science. ISSN: 1517-784X