AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE ESPÉCIES NATIVAS UTILIZADAS NA ARBORIZAÇÃO DO CAMPUS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA-RS

Eleandro José Brun, Suzana Ferreira da Rosa, Cristiane Roppa, Mauro Valdir Schumacher, Flávia Gizele König Brun

Resumo


A nutrição mineral de árvores urbanas deve ser considerada na implantação e condução de projetos de arborização. Objetivou-se fornecer parâmetros para essa prática, avaliando-se o teor de nutrientes nas folhas de cinco espécies florestais nativas presentes na arborização do Câmpus da Universidade Federal de Santa Maria/Rio Grande do Sul. Amostras foliares foram coletadas de ramos jovens, na porção média da copa, em exposição norte, preparadas e analisadas quanto aos teores de macro e micronutrientes. Eugenia uniflora apresentou deficiência de N e P. Parapiptadenia rigida apresentou teor muito baixo para P, mesmo com bom teor disponível no solo. Todas as espécies apresentaram teores adequados de K e Ca, pelo bom suprimento via solo e teores baixos de Al no mesmo. Cedrella fissilis apresentou-se adequadamente suprida de Mg, porém Caesalpinia pluviosa mostrou deficiência. Eugenia uniflora apresentou-se deficiente de S. Cedrella fissilis e Peltophorum dubium apresentaram deficiência de B. Todas as espécies mostraram teores entre adequados e altos de Cu. Peltophorum dubium apresentou teor abaixo do adequado para o Fe, mesmo assim sem deficiência. Parapiptadenia rigida apresentou toxicidade de Fe. Cedrella fissilis, Eugenia uniflora e Caesalpinia pluviosa apresentaram deficiência de Mn. Eugenia uniflora, Parapiptadenia rigida e Caesalpinia pluviosa apresentaram teores deficientes de Zn

Palavras-chave


nutrição mineral de espécies arbóreas; arborização urbana; análise foliar

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v7i1.66607

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.