USO DE IMAGENS DE ALTA RESOLUÇÃO PARA AVALIAÇÃO DE ÁREAS VERDES NA CIDADE DE SÃO PAULO, BRASIL

Juliana Amorim da Costa, Demóstenes Ferreira da Silva Filho, Jefferson Lordello Polizel

Resumo


A presença de áreas verdes nas cidades traz inúmeras melhorias a estas e melhora a qualidade de vida do cidadão, exercendo funções estéticas, de lazer e educacional. O crescimento das cidades brasileiras não foi acompanhado por um planejamento urbano que reservasse espaços para o verde, como é o caso da cidade de São Paulo, uma metrópole que possui problemas sociais e ambientais. As ferramentas de geoprocessamento e sensoriamento remoto vêm sendo utilizadas com sucesso para analisar o tecido urbano e, em especial, a arborização presente na cidade. Assim, fez-se uso de imagens de alta resolução, dos satélites Ikonos e Quickbird, dos anos de 2002, 2004, 2006 e 2008, para avaliar quanto ao quesito arborização três regiões da cidade de São Paulo: subprefeitura da Mooca, subprefeitura da Sé e subprefeitura de Pinheiros. Para isto foram aplicados diferentes métodos de obtenção de dados físicos do tecido urbano, por meio de técnicas de classificação de imagens de alta resolução, juntamente com a aplicação do Índice de Floresta Urbana. O método de classificação que demonstrou ser o mais adequado para este trabalho foi o Stepwise Linear e a região que obteve melhor índice de floresta urbana foi a da subprefeitura de Pinheiros.

Palavras-chave


Remote sensing; Automatic classification; Urban forestry; Urban forest index

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v7i1.66552

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.