ANÁLISE ESPACIAL DAS ÁREAS VERDES DE BELO HORIZONTE (MG)

Antoniel Silva Fernandes, Altino Barbosa Caldeira

Resumo


O objetivo deste trabalho foi pesquisar as áreas verdes do município de Belo Horizonte – MG. Para isso foi identificado: a importância, origem, uso e distribuição espacial dos fragmentos vegetais. Para atender ao proposto, realizou-se o mapeamento, a caracterização e a classificação das áreas verdes não urbanizadas e/ou não ocupadas, identificando-se as suas condições de apropriação. Os 104 espaços verdes investigados, distribuídos de forma aleatória pelo município, correspondem a 10% do território total e são constituídos, em sua maioria, por parques municipais de dimensões muito pequenas (em média de um a três hectares). Observou-se que existe pouca possibilidade de conexão entre eles, sem a realização de grandes intervenções urbanísticas. Entretanto, entre as áreas verdes investigadas, aquelas situadas ao sul do município de Belo Horizonte formam um "eixo verde" com as áreas situadas no sentido sudoeste/ leste, nas vertentes da Serra do Curral. Outro "eixo verde" se forma na Regional Administrativa Nordeste, sentido noroeste. Este estudo possibilitou ainda, indicar conexões de áreas verdes em terrenos não ocupados, e que, portanto, são áreas potenciais para a criação de parques ou demais unidade de conservação, e que podem vir a ser destinadas à preservação ambiental.


Palavras-chave


Paisagem; Paisagem urbana; Eixos verdes

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/revsbau.v11i3.63418

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.