ANÁLISE FENOMENOLÓGICA DA PERCEPÇÃO DOS PACIENTES EM CUIDADOS PALIATIVOS

Maria Inês Amaro Assunção de Melo, Waldir Souza

Resumo


O artigo visa analisar a percepção dos pacientes em cuidados paliativos e aplicar o método fenomenológico steiniano. Pesquisa de campo, transversal, descritiva e qualitativa. De amostragem assimétrica, aleatória com participação de 8 pacientes em cuidados paliativos com faixa etária igual ou maior que 18 anos, realizada na instituição hospitalar, localizada na cidade de São Paulo-SP. Consta de um roteiro de entrevistas semiestruturado, aplicado aos pacientes em cuidados paliativos nos seguintes setores: ambulatório e internamento. As entrevistas foram gravadas em áudio e posteriormente transcritas. O método adotado é o fenomenológico de Edith Stein, baseado em três obras: “La struttura della persona umana (1933-2013); L’ Empatia di Edith Stein (1917-1992); Psicologia e Scienze dello Spirito (1922-1999)”. Os resultados da pesquisa, utiliza da ferramenta Altas.ti.8 e a codificação percepção foi adotada em conformidade ao método fenomenológico. Os códigos partem da individualidade de cada paciente e atingem as codificações gerais, por semelhanças. A análise dos resultados aprofunda as codificações gerais, a partir da fundamentação teórica das obras que entrelaçam as arguições dos pacientes. Logo a percepção dos pacientes traduzem a vida, as emoções, os tratamentos em relação aos cuidados paliativos, advém de três especificidades encontradas em relação ao tratamento; em relação a doença; em relação aos sentimentos, estão presentes dois polos de sentimentos positivos e negativos.


Palavras-chave


Fenomenologia. Percepção. Cuidados Paliativos

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Celana Cardoso. HOLANDA, Adriano Furtado. Apontamentos sobre pesquisa qualitativa e pesquisa empírico-fenomenológica. Estud. psicol. Campinas, v. 27, n. 2, p. 259-268, 2000. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2010000200013 Acesso em: 9 ago. 2020.

BICUDO, Maria Aparecida Viggiani (org.). Pesquisa Qualitativa. Segundo a visão fenomenológica. São Paulo: Editora Cortez, 2011.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2013/res0466_12_12_2012.html Acesso em: 20 dez, 2019

GALVAO, Taís Freire; PEREIRA, Mauricio Gomes. Revisões sistemáticas da literatura: passos para sua elaboração. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 23, n. 1, p. 183-184, mar. 2014. Disponível em http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742014000100018&lng=pt&nrm=iso . Acesso em:17 mar. 2020.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER-INCA. Cuidados Paliativos. (Brasília, DF): Instituto Nacional do Câncer, 2020. Disponível em: https://www.inca.gov.br/tratamento/cuidados-paliativos Acessado em 07 nov. 2020.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia científica. 6 ed. São Paulo. Atlas, 2011.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa quantitativa em saúde. 8 ed. São Paulo: Hucitec, 2004.

SALDAÑA, Johnny. The Coding Manual for Qualitative Researchers. London: Sage, 2013.

STEIN, Edith. La struttura della persona umana: corso di antropologia filosofica. Trad. Michele D’Ambra. Roma: Città Nuova, 2013. (Original publicado em 1933).

STEIN, Edith. (n). Psicologia e scienze dello spirito: contributi per una fondazione filosófica. Trad. Anna Maria Pezzella. Roma: Città Nuova, 1999. (Original publicado em 1922).

STEIN, Edith. L'empatia di Edith Stein. Trad. Michele Nicoletti. Milano, Italia: Franco Angeli, 1992. (Original publicado em 1917).




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v10i1.79650