RECONHECIMENTO E ORGANIZAÇÃO DAS RELIGIÕES AFRO-BRASILEIRAS NUMA CIDADE DE COLONIZAÇÃO GERMÂNICA

Gerson Machado

Resumo


Neste artigo apresento reflexões sobre a construção de um saber-poder a respeito das religiões afro-brasileiras em Joinville/SC, cidade que ocupa papel de destaque no processo de ocupação europeia no Sul do Brasil, mas que acolheu outras identidades em seu território, desde meados do século XIX. É uma reflexão historiográfica que problematiza a teia constituidora das dizibilidades inerentes ao estabelecimento dessas religiões no cenário da cidade, nas décadas finais do século XX, apontando para estratégias de consolidação dos grupos e para as críticas às fontes utilizadas na construção do saber historiográfico. Neste cenário, as fontes orais exigem do historiador uma sensibilidade específica para valorar e sistematizar narrativas, aparentemente desconexas, as quais, associadas às outras formas de enunciação, conferem sentidos à realidade, distintos daqueles sustentados pelo “status quo”. Diante disso, espaço, tempo e narrativa são fenômenos de uma trama em que essas agremiações religiosas a um só tempo reivindicam o direito ao pertencimento à cidade ao mesmo tempo em que reafirmam que a realidade social é consolidada na e pelas diferenças.

Palavras-chave


Memória, Identidade, Religiões afro-brasileiras, Candomblé, Mercado Religioso.

Texto completo:

PDF

Referências


A NOTÍCIA. 30 Ago. 1980, p.17. (Classificados)

A NOTÍCIA. 06 Jan. 1981.

A NOTÍCIA. 26 Set. 1981.

A NOTÍCIA. 01 Jan. 1982.

A NOTÍCIA. 06 Dez. 1985, p.16. (Classificados)

A NOTÍCIA. 21 Abr. 1987.

A NOTÍCIA. 09 Jun. 1987, p. 18. (Classificados)

A NOTÍCIA. 02 Set. 1987, p. 18. (Classificados)

A NOTÍCIA. 01 Nov. 1987, s.p.. (Classificados)

A NOTÍCIA. 03 Nov. 1987, s.p..

A NOTÍCIA. 22 Fev. 1989, s.p.. (Classificados)

BARTEL, Fernando Sebastião Entrevista. Joinville: 13 Abr. 2011.

CUNHA, Orlando. Entrevista. Joinville: 24 Mar. 2011.

DERRIDA, Jacques. Fé e saber. In:VATTIMO, Gianni; DERRIDA,

Jacques (orgs.). A religião: o seminário de capri. São Paulo: Estação Liberdade, 2000, p.p. 11-89.

FONTOURA, Arselle de Andrade da; SILVA, Janine Gomes da. Histórias sobre a presença negra em Joinville no século XIX. Joinville Ontem & Hoje. Março, 2005, p.22-25.

GARGANI, Aldo. A experiência religiosa como evento e interpretação. In: DERRIDA, Jacques e VATTIMO, Gianni. A Religião. São Paulo: Estação Liberdade, 2000, p.p.125-150.

GEERTZ, Clifford. Um jogo absorvente: notas sobre a briga de galos balinesa. In: _____. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., 1989, p.p. 185-213.

GEERTZ, Clifford. Uma descrição densa: por uma teoria interpretativa da cultura. In: _____. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978, p.p. 13-41.

GRUNER, Clóvis. Leituras Matutinas; utopias e heterotopias da modernidade na imprensa joinvilense. Curitiba: Aos Quatro Ventos, 2003.

GUERREIRO, Silas. “Quer ver o seu futuro, seu moço?” Uma interpretação dos jogos divinatórios na sociedade contemporânea. In: ISAIA, Artur Cesar (org.) Crenças, sacralidades e religiosidades. Florianópolis: Insular, 2009, p. 249-265.

LODY, Raul. Dicionário de arte sacra & técnicas afro-brasileiras. Rio de Janeiro: Pallas, 2003.

MACHADO, Gerson. Memórias e relações interétnicas: conflitos e acomodações numa comunidade rural catarinense. 1.ed.. Itajaí: Casa Aberta, 2015.

OLIVEIRA, Iris Verena Santos de. Cartografias simbólicas de Salvador: Espaços sacralizados pelo povo de santo. In:

FERREIRA, Marieta de Morais (org.). Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH. São Paulo: internet/ANPUH, julho 2011.

PESAVENTO, Sandra Jathay. Negros feitiços. In: ISAIA, Artur César (org.). Orixás e espíritos: o debate interdisciplinar na pesquisa contemporânea. Uberlândia: EDUFU, 2006, pp. 129-172.

PIERUCCI, Antônio Flávio. Religião como solvente: uma aula. Novos Estudos. N.75, jul. 2006, p.p. 111 - 127.

PRANDI, Reginaldo. As religiões afro-brasileiras e seus seguidores. Civitas Revista de Ciências Sociais. V.3, n.1, Porto Alegre: PUC/RS, jun. 2003.

ROLNIK, Sueli. Toxicômanos de identidade. Subjetividade em tempo de globalização. In: LINS, Daniel (org.). Cultura e subjetividade. Saberes Nômades. Papirus, Campinas 1997; pp.19-24.

ROSENDAHL, Zeny. Território e Territorialidade: Uma Perspectiva geográfica para o estudo da religião. In: Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina. São Paulo: USP, 20 a 26 de março de 2005, p.p. 12.928 – 12.942.

SCHWARCZ, Lílian Moritz. O espetáculo das raças; cientistas, instituições e questão racial no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SEYFERTH, Giralda. A colonização alemã no Vale do Itajai-Mirim. Porto Alegre: Ed. Movimento, 1974.

SILVA, Vagner Gonçalves da. Orixás da Metrópole. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995.

TRIAS, Eugênio. Pensar a religião: o símbolo e o sagrado. In:

DERRIDA, Jacques e VATTIMO, Gianni. A Religião. São Paulo: Estação Liberdade, 2000, p.p. 109- 124.

VOGEL, Arno et alli. A galinha d´Angola. 2.ed. Rio de Janeiro: Pallas, 1998.

SANTOS, Maurício Ferreira dos. Entrevista. Joinville: 20 Jun. 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/rt.v5i1.45760