ZONEAMENTO GEOAMBIENTAL DA TECA NO MUNICÍPIO DE CÁCERES/MATO GROSSO - BRASIL

Jesã Pereira Kreitlow, Sandra Mara Alves da Silva Neves, Ronaldo José Neves, Milson Evaldo Serafim

Resumo


A Teca (Tectona grandis L. f.) é uma espécie arbórea de grande porte, originária do sudoeste asiático, que teve seu ciclo de crescimento acelerado devido às características edafoclimáticas presentes no estado de Mato Grosso. Assim, objetivou-se realizar a avaliação geoambiental das terras do município de Cáceres/MT, visando à identificação das áreas aptas e inaptas ao cultivo da Teca. A metodologia para operacionalização desta pesquisa ocorreu por meio de geotecnologias. Os resultados mostraram que em Cáceres 5.046 Km2 são considerados aptos para a cultura da Teca e 19.305 Km2 inaptos, sendo que as áreas aptas se localizam nos vales da Província Serrana e em porções com relevo plano, situados a oeste do perímetro urbano. As informações geradas neste estudo podem contribuir no planejamento da atividade e na gestão territorial municipal de Cáceres, situado na região sudoeste mato-grossense. 

Palavras-chave


Geotecnologias; Biogeografia; Pantanal; Tectona grandis L. f.

Texto completo:

ARTIGO AUTORIZAÇÃO

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRODUTORES DE FLORESTAS PLANTADAS –ABRAF. Anuário estatístico da ABRAF 2013, ano base 2012. Brasília/DF: ABRAF, 147p. 2013.

BAHR, G.C.; CARVALHO, S.M. Identificação da fragilidade ambiental da bacia hidrográfica do Arroio Uvaranal, como subsidio ao projeto de expansão urbana de Telêmaco Borba –PR.RA ́E GA, Curitiba, v. 26, p. 157-181, 2012.

BRASIL. Censo demográfico 2010 -Agregado desetores censitários dos resultados do universo. v. 5, região Centro-Oeste. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2013. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm. Acesso em: 03 de junho de 2013.BRASIL.

CONSELHO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE-CONAMA. Resolução n° 302 de 13 de maio de 2002. Estabelece parâmetros, definições e limites de Áreas de Preservação Permanente. Disponível em: http://www.mma.gov.br/port/conama/res/res02/res30302.html. Acesso em: 03 de junho de 2013.

BRASIL. Ministério das Minas e Energia. Secretaria-geral. ProjetoRADAMBRASIL. Folha SD 21 Cuiabá; geologia, geomorfologia, pedologia, vegetação e uso potencial da terra. Rio de Janeiro, 520p.1982.

BRASIL. Plano de Conservação da Bacia do Alto Paraguai –PCBAP (Projeto Pantanal). Diagnóstico dos meios físicoe biótico. Volume 2, Tomo 1. Brasília/DF, Ministério do Meio Ambiente, 334p.1997.

CAIXETA, A.C.M.; BRITO, J.L.S. A utilização de técnicas de geoprocessamento na bacia do córrego Monjolo/Patos de Minas na proposta de zoneamento do parque municipal Mirante do Alto da Colina. Horizonte Científico, Uberlândia, v. 5, n. 2, p. 1-28, 2011.

CARVALHO JUNIOR, W.; CHAGAS, C.S.; PEREIRA, N.R.; STRAUCH, J.C.M. Elaboração de Zoneamentos agropedoclimáitcos por geoprocessamento: Soja em municípios do Rio Grande do Sul. R. Bras. Ci. Solo, Viçosa, v. 27, n. 2, p. 379-387, 2003.

ESRI. ArcGIS Desktop: release 9.2. Redlands, CA: Environmental Systems Research Institute, 2007.

FIGUEIREDO, E.O.; OLIVEIRA, A.D.; SCOLFORO, J.R.S. Análise econômica de povoamentos não desbastados de Tectona grandis L. f., na microrregião do Baixo Rio Acre.Cerne,Lavras, v. 11, n. 4, p. 342-353, 2005a.

FIGUEIREDO, E.O.; OLIVEIRA, L.C.; BARBOSA, L.K.F. Teca (Tectona grandis L.f.): principais perguntas do futuro empreendedor florestal. Rio Branco: Embrapa Acre, 87p.2005b.

LAGE, C.S.; PEIXOTO, H.; VIEIRA, C.M.B. Aspectos da vulnerabilidade ambiental na bacia do Rio Corrente-BA. GeoTextos, Salvador, v. 4, n. 1 e 2, p. 11-36, 2008.

MACEDO, R.L.G.; GOMES, J.E.; VENTURIN, N.; SALGADO, B. G. Desenvolvimento inicial de Tectona grandis L. f. (Teca) em diferentes espaçamentos no Município de Paracatu, MG.Cerne,Lavras, v. 11, p. 61-69, 2005.

NARDIN, D.; ROBAINA, L.E.S. Zoneamento Geoambiental no oeste do Rio Grande do Sul: um estudo em bacias hidrográficas em processo de arenização. Sociedade & Natureza. v.22, n. 3, p. 487-502, 2010.

NEVES, S.M.A.S.; NEVES, R.J.; MERCANTE, M.A. Dinâmica da paisagem na região nordeste de Cáceres/MT, com suporte nas geotecnologias. In: RODRIGUES, S. C.; MERCANTE, M. A.(Eds.) Paisagens do Pantanal e do Cerrado: fragilidades e potencialidades. Uberlândia/MG: EDUFU, p. 153-178, 2011a.

NEVES, S.M.A.S.; NUNES, M.C.M.; NEVES, R.J. Caracterização das condições climáticas de Cáceres/MT Brasil, no período de 1971 a 2009: subsídios às atividades agropecuárias e turísticas municipais. Boletim Goiano de Geografia, Goiânia, v. 31, n. 2, p. 55-68, 2011b.

ORTIZ, J.L.; VETTORAZZI, C.A.; ZARATE, H.T.; GONÇALVES, J.L. Relações espaciais entre o potencial produtivo de um povoamento de eucalipto e atributos do solo e do relevo. Scientia Forestalis, Piracicaba, n. 72, p. 67-79, 2006.

ROSA, R. Geotecnologias na geografia aplicada. Revista do Departamento de Geografia, São Paulo,v. 16, p. 81-90, 2005.

SILVA, J.S.V.; SANTOS, R.F. Estratégiametodológica para zoneamento ambiental: a experiência aplicada na Bacia Hidrográfica do Alto Rio Taquari. Campinas/SP: Embrapa Informática Agropecuária, 329p.2011.

THOMAS, B.L. Proposta de zoneamento ambiental para o município de Arroio do meio –RS. RA ́E GA, Curitiba, v. 24, p. 199-226, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v31i0.32948

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009