CONTRIBUIÇÃO METODOLÓGICA PARA A ANÁLISE DA FRAGILIDADE EMERGENTE: ESTUDO DE CASO DO MUNICÍPIO DE COLOMBO/PR

Luciano de Almeida, Leonardo José Cordeiro Santos, Guilherme Gandara Martins

Resumo


Este trabalho propõe uma adaptação da metodologia da Fragilidade Ambiental para a determinação da Fragilidade Emergente. Discute-se a necessidade de métodos de mensuração dos impactos causados pela agricultura que levem em conta diferentes práticas agrícolas e formas de manejo dos recursos naturais. Essa análise metodológica é realizada a partir de um estudo de caso no município de Colombo-PR, Região Metropolitana de Curitiba. Este município situa-se em uma área de mananciais e sobre um aqüífero e pela presença da produção convencional e intensiva de hortaliças e de algumas culturas anuais. Foram elaboradas cartas de Fragilidade Ambiental (Potencial e Emergente) e avaliados os impactos da agricultura sobre a qualidade e disponibilidade dos recursos hídricos na área de estudo. Foram gerados novos parâmetros de diferenciação das práticas agrícolas e seus respectivos impactos ambientais. Os dados mostraram que, na medida em que reconhece e analisa com mais precisão as diferentes formas de uso agrícola do solo, os resultados em termos de fragilidade emergente também variam. No caso de Colombo, os dados mostram que a capacidade de proteção do solo é maior quando utilizada a metodologia proposta, mas reafirma que a agricultura praticada nas áreas de produção de hortaliças implica num elevado grau de vulnerabilidade do solo e, por decorrência, das águas. Conclui-se ainda que o procedimento metodológico apresentado é importante para que se rompa com uma visão equivocada que generaliza os impactos ambientais causados pela agricultura e se valorize iniciativas de uso de técnicas agrícolas de caráter mais conservacionista.  

Palavras-chave


fragilidade ambiental, fragilidade emergente, técnicas agrícolas

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, L. Mudança técnica na agricultura: perspectivas da transição agroambiental em Colombo – PR. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

FLORIANI, N. Avaliação da fragilidade geossistêmica de uma microbacia sobre geologia kárstica: potencial e limitações. 133 f. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2003.

FRITZSONS, E. Avaliação do impacto da contaminação por nitrogênio na Bacia Hidrográfica kárstica de Fervida / Ribeirão das Onças - Colombo/PR. 164 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) - Setor de Ciências Agrárias, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 1999.IBGE. Folha topográfica nº 2842-2, Curitiba, 1968.

MENK, J. R. F.; MIRANDA, J. I. Levantamento pedológico e mapeamento do risco de erosão dos solos da Microbacia do Córrego Taquara Branca, Sumaré, SP. Jaguariúna: EMBRAPA-CNPMA, 1997. (EMBRAPA-CNPMA. Documentos, 9).

MERTEN, G.H. Impacto da mecanização do solo. In: PECHE FILHO, A. et al. (Ed.). Simpósio sobre impacto ambiental por uso agrícola do solo (SIMPAGRI). Campinas: Instituto Agronômico, 1994. p. 47-58. (Documentos IAC, 49).

MIRANDA, C. R. de. A tecnologia agropecuária e os produtores familiares de suínos do oeste catarinense.218f. Dissertação ( Mestrado ) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1995.

OLIVEIRA, J. T. A. de. Lógicas produtivas e impactos ambientais: estudo comparativo de sistemas de produção. Campinas, 2000. 284 f. Tese (Doutorado) - Feagri, Unicamp.

ROSS, J. L. S. Análise empírica da fragilidade dos ambientes naturais e antropizados. In: Revista do Departamento de Geografia, São Paulo, n. 8, p. 63-74, 1994.ROSS, J. L. S. Geomorfologia: ambiente e planejamento. 3 ed. São Paulo: Contexto, 1996.

SANEPAR. Relatório de Impacto Ambiental: exploração do aquífero Karst. Curitiba, 2001a.

______. Estudo de impacto ambiental da exploração do aquífero Karst das Sub-bacias de Colombo, Sede e Fervida.Município de Colombo-PR. Curitiba, 2001b. Tomo 1.

SANTOS, I. dos.; VITTE, A. C. Proposta de mapeamento da fragilidade ambiental na bacia hidrográfica do Rio Palmital, Região Metropolitana de Curitiba. In: FÓRUM GEO-BIO-HIDROLOGIA: ESTUDOS EM VERTENTES E MICROBACIAS HIDROGRÁFICAS. 1., Anais... Curitiba, 1998.

SUDERHSA. Fotografias aéreas coloridas. Escala: 1:30.000. Curitiba, 2000.

______. Sistema de informações geográficas para a gestão de recursos hídricos do alto Iguaçu. (Relatório Final e Fotografias Aéreas Digitalizadas.) Curitiba, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5380/raega.v17i0.11017

Direitos autorais

_____________________________________________

ISSN (IMPRESSO) 1516-4136 até 2008

ISSN (ELETRÔNICO) 2177-2738 a partir de 2009