O (não) lugar do reflexo no modo causal de seleção pelas consequências de Skinner

Marcus Bentes de Carvalho-Neto, Thais Maria Monteiro Guimarães, Alejandra Rodríguez Sarmiento, Monalisa de Fátima Freitas Carneiro Leão

Resumo


Skinner em 1 981 propôs um modo causal geral para explicar o comportamento envolvendo dois
processos básicos e complementares: variação e seleção. Algumas vezes o selecionismo é apresentado
como um substituto do mecanicismo dentro e fora do âmbito comportamental. Contudo, há um ponto de
tensão nessa interpretação: o comportamento/condicionamento reflexo. Esse tipo de comportamento e de
aprendizagem seria explicado através de leis compatíveis com o mecanicismo, as leis do reflexo, não
envolvendo variação e seleção. Em que medida, então, a seleção pelas consequências seria um modo
explicativo geral se nem mesmo seria aplicável a todos os casos de comportamento? Uma interpretação
alternativa é oferecida sobre a natureza e o alcance do selecionismo skinneriano.


Palavras-chave


Seleção pelas consequências; selecionismo; mecanicismo; comportamento e condicionamento reflexo; Skinner

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v20i3.47705

Direitos autorais 2017 Interação em Psicologia

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.