Um estudo sobre a dimensionalidade do teste do Desenho da Figura Humana

Fermino Fernandes Sisto

Resumo


Nesta pesquisa foi avaliado o ajuste do modelo Rasch quanto à unidimensionalidade do teste Desenho da Figura Humana. Foram estudadas 1.207 escolares de ambos os sexos, com idades de 5 a 10 anos. Para avaliar a possibilidade de violação, optou-se pela análise de componentes principais de resíduos, pois eles podem ser suficientes para violar a unidimensionalidade intrínseca dos itens. Foram selecionados os itens de maior saturação em relação à dimensão positiva e negativa do primeiro fator. Esses itens foram novamente analisados pelo modelo de Rasch, separadamente, e correlacionadas as pontuações do fator positivo com o negativo. O resultado sugeriu a existência de mais de uma dimensão, em contraposição ao uso de uma pontuação total para a avaliação. O estudo sobre as perturbações de medida relacionadas ao examinando indicou que o principal problema está relacionado à presença ou ausência de detalhes no desenho incompatíveis com as características globais da figura.

Palavras-chave: modelo Rasch; unidimensionalidade; teste do Desenho da Figura Humana.

 


Palavras-chave


modelo Rasch; unidimensionalidade; teste do Desenho da Figura Humana

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v9i1.3282

Direitos autorais