Emergência de relações ordinais em crianças

Grauben José Alves de Assis, Lívia Cristinne Arrelias Costa

Resumo


Nas relações entre estímulos em seqüências ensinadas independentemente uma da outra, deve-se considerar as propriedades definidoras da ordinalidade: irreflexividade, assimetria, transitividade e conectividade. O Estudo I replicou a emergência de classes ordinais com crianças normais, a partir de treino por encadeamento e o Estudo II ampliou esses resultados sob controle condicional. Um microcomputador forneceu suporte ao estudo. No Estudo I foi programado um procedimento com quatro conjuntos de estímulos não usuais e no Estudo II dois conjuntos de estímulos. Após ordenar um conjunto de estímulos, duas cores foram introduzidas e o responder deveria ocorrer em função da presença das cores verde ou vermelho. A tarefa do participante era tocar em uma figura e depois, na outra. Respostas corretas produziam uma animação gráfica na tela. Atingido o critério de acerto eram aplicados testes para avaliar a ordinalidade, transitividade e conectividade avaliando a emergência de classes ordinais ou de equivalência. Todos participantes responderam no treino. Nos testes de substitutabilidade do Estudo I todos responderam prontamente. No Estudo II, dois participantes responderam prontamente e um parcialmente. Esses resultados indicam que o procedimento utilizado foi efetivo e ampliou os obtidos em estudos anteriores. O presente estudo pode ser visto como importante no sentido de contribuir para análise de comportamentos conceituais numéricos.

Palavras-chave: encadeamento; classes ordinais; crianças.

 


Palavras-chave


encadeamento; classes ordinais; crianças

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v8i2.3256

Direitos autorais