Open Journal Systems

Como se morde um pai? Estudo de caso de um jovem autista: uma abordagem psicanalítica

Maria Elisabeth Araújo, Carlos Alberto Ribeiro Costa

Resumo


 

 

Através da abordagem de episódios de “passagem ao ato”, em que um paciente autista morde o pai, este trabalho debate as vicissitudes ocasionadas pela ausência do nome do pai como mediador das relações do sujeito com a alteridade, a dimensão objetal e a imagem. A discussão sobre o lugar que as “mordidas no pai” tiveram na economia libidinal deste sujeito aborda questões referentes à autoridade, a não diferenciação sexual e a construção da imagem de si. O trabalho tece considerações a propósito do apaziguamento possível de se acessar através da invenção de um corpo em suas relações com os registros Real, Simbólico e Imaginário, tal como concebido por Jacques Lacan.

 

Palavras-chave: autismo; passagem ao ato; nome do pai; holófrase; corpo.

 


Palavras-chave


autismo; passagem ao ato; nome do pai; holófrase; corpo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v15i2.19935