Uma análise do modelo de explicação no behaviorismo radical: o estatuto do comportamento e a relação de dependência entre eventos

Monalisa de Fátima Freitas Carneiro Leão, Carolina Laurenti

Resumo


O objetivo deste artigo é elucidar algumas características do modelo de explicação do comportamento proposto pelo Behaviorismo Radical. Para tanto, abordamos dois aspectos: (1) a delimitação do campo explicativo, e (2) o modelo explicativo no contexto da filosofia da ciência. Com relação ao primeiro ponto, examinamos o estatuto do comportamento na explicação behaviorista radical contrastando-o com duas explicações tradicionais do comportamento: a mentalista e a fisicalista. Diferente destas últimas explicações, o Behaviorismo Radical defende o comportamento como um objeto de estudo autônomo. No contexto da filosofia da ciência, examinamos, primeiramente, algumas concepções tradicionais de relação de dependência entre eventos, como a conexão necessária e a metáfora da cadeia. Em seguida, discutimos como o modelo de explicação behaviorista radical parece ser incompatível com tais concepções. Concluímos que o Behaviorismo Radical explica o comportamento buscando redes de interdependência probabilística entre estímulos (antecedentes e consequentes) e respostas, levando em consideração a importância da história nesse processo.

 

Palavras-chave: behaviorismo radical; explicação do comportamento; autonomia do comportamento; relações funcionais; explicação histórica.


Palavras-chave


behaviorismo radical; explicação do comportamento; autonomia do comportamento; relações funcionais; explicação histórica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v13i1.12462

Direitos autorais