O desenvolvimento de dominância manual e podálica em crianças destras e canhotas entre três a oito anos de idade

William Lee Berdel Martin, Valéria Pereira Braz Homci, Francisca Morais da Silveira

Resumo


Essa pesquisa estudou padrões de desenvolvimento de dominância manual, podálica e assimetrias fenotípicas associadas, como dominância mista e a correspondência entre a mão e o pé dominante, em crianças. Pesquisas indicaram que os canhotos diferem dos destros: são mais mistos nas suas preferências manuais e apresentam uma taxa elevada de dominância podálica contralateral, particularmente para chutar bola. Investigou-se em qual faixa de idade a direção e o grau de dominância ficam estáveis; se a dominância podálica se desenvolve simultaneamente com dominância manual e a idade entre canhotos, em que os fenótipos mistos e consistentes emergiram. Crianças (N = 120) de três a oito anos de idade (60 destros e 60 canhotos) foram avaliadas em dez tarefas manuais e quatro podálicas. Em destros e canhotos a direção e o grau de dominância manual estavam estabelecidos aos três anos; em ambos os grupos dominância manual e podálica evoluíram simultaneamente estabelecendo-se na mesma idade, senão antes. Entre canhotos, nos mistos e consistentes, já estava presente aos três anos de idade. A frequência permaneceu uniforme através das demais faixas etárias. Conclui-se que o padrão de dominância neuromotor para tarefas primárias e para o ato de chutar foi invariante, sendo, provavelmente, lateralizado antes de três anos.

 

Palavras-chave: dominância manual; dominância podálica; desenvolvimento lateral; crianças jovens.


Palavras-chave


dominância manual; dominância podálica; desenvolvimento lateral; crianças jovens

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v13i1.11155

Direitos autorais