Controle restrito de estímulos em participantes com Síndrome de Down e crianças com desenvolvimento típico

Camila Domeniconi, Aline Roberta Aceituno da Costa, Júlio César de Rose, Deisy das Graças de Souza

Resumo


Participantes com atraso no desenvolvimento podem responder sob controle de parte de estímulos compostos. Um método para investigar controle restrito de estímulos seria realizar treinos de discriminação condicional combinando estímulos simples e compostos e testar as respostas dos participantes aos elementos individuais dos estímulos compostos. O presente estudo realizou tarefas desse tipo com participantes com Síndrome de Down e crianças com desenvolvimento típico. Foram ensinadas tarefas de emparelhamento com o modelo por identidade envolvendo estímulos abstratos. Em seguida, foram realizados testes em tarefas de emparelhamento com o modelo simultâneo e com atraso de zero ou dois segundos com quatro tipos de tentativas: 1. modelos e estímulos de comparação simples; 2. modelos simples e estímulos de comparação compostos; 3. modelos compostos e estímulos de comparação simples; 4. modelos e estímulos de comparação compostos. Os participantes responderam com bastante acurácia em testes de emparelhamento com o modelo simultâneo. Nos testes com atraso na apresentação dos estímulos de comparação, os adultos com Síndrome de Down cometeram mais erros do que as crianças com desenvolvimento típico. Esses resultados confirmam e estendem os de estudos prévios que verificaram que indivíduos com atraso no desenvolvimento podem não responder sob o controle de todos os elementos de um estímulo, o que tem importantes implicações para o planejamento e o monitoramento do ensino para esta população.

 

Palavras-chave: controle restrito de estímulo; estímulos compostos; emparelhamento com o modelo; Síndrome de Down.


Palavras-chave


controle restrito de estímulo; estímulos compostos; emparelhamento com o modelo; Síndrome de Down

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/psi.v13i1.11093

Direitos autorais