Open Journal Systems

A PRODUÇÃO ANTROPONÔMICA PARA A POLÍTICA: CASOS NO PARANÁ, BRASIL

Alessandro Cavassin Alves

Resumo


“Como uma pessoa se torna o que é, e como se tornará o que será?” Para responder a essa questão o sociólogo francês Daniel Bertaux, na década de 1970, utilizou do conceito de antroponomia, com o significado de ser a “formação e/ou definição do ser humano de acordo com a classe social em que nasceu” e sendo a “família o lugar principal da produção antroponômica”. Assim, este trabalho tem por objetivo discutir a pertinência do conceito de antroponomia como instrumento de análise sociológica, além de discutir e relacionar o termo com a bibliografia que vem tratando, em especial, do tema família e política. Na política, identificam-se políticos que ao longo de gerações seus familiares vêm ocupando cargos eletivos, enquanto exemplos concretos da chamada “produção antroponômica” dada pela família para a política, segundo Bertaux. Mas, por se tratar de um fenômeno amplo no Brasil e no mundo (visível, mas pouco discutido), o presente texto limita-se a apresentar alguns exemplos de políticos que há gerações suas famílias exercem poderes políticos no Estado do Paraná, como forma, também, de “mapear” tal dado sociológico no atual contexto democrático brasileiro.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/nep.v3i3.54327

Apontamentos

  • Não há apontamentos.