A (des)politização dos Jogos Olímpicos modernos

Luiz Carlos Ribeiro

Resumo


Focando em três momentos conjunturais do olimpismo – a fundação dos jogos modernos, no final do século XIX, a conjuntura totalitária dos anos trinta e a da guerra fria, nos anos 1950-1980 – o presente artigo debate como a atribuída neutralidade dos Jogos Olímpicos é a sua principal força política. Quanto mais esse caráter neutro e apolítico é afirmado, mais cresce a força política do movimento olímpico.

Palavras-chave


olimpismo; esporte moderno; história política; despolitização

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5380/his.v68i2.72500

Licença Creative Commons Os textos da revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional
 
História: Questões & Debates. ISSN: 0100-6932 e e-ISSN: 2447-8261.
Uma publicação do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Paraná (PPGHIS-UFPR) - com apoio da da Associação Paranaense de História (APAH)

Universidade Federal do Paraná
Rua General Carneiro, 460, 7º andar
Curitiba – Paraná – Brasil - CEP: 80060-150